F1

Vettel nega Ferrari dominante em 2018: “Não tinha ritmo contra a Mercedes em algumas corridas”

A Ferrari esteve forte na briga contra a Mercedes, mas nunca a ponto de exercer domínio na F1, pensa Sebastian Vettel. O alemão acredita que a equipe italiana não teve velocidade suficiente para brigar até o fim da temporada
Warm Up / Redação GP, de Berlim
 Sebastian Vettel (Foto: Ferrari)
A Ferrari teve um bom carro, mas não a ponto de dominar e virar favorita ao título. Essa é a análise de Sebastian Vettel, que voltou a ficar pelo caminho contra Lewis Hamilton e Mercedes. Vice-campeão pelo segundo ano seguido, o alemão vê pontos em comum entre 2018 e 2017, dois anos em que a equipe italiana não conseguiu manter uma sequência de grandes resultados para conter o ímpeto alheio.
 
“Talvez eu tenha uma opinião diferente dos outros. É completamente verdade que nós temos um carro muito forte, mas não acho que seja verdade essa percepção das pessoas de que nós tínhamos um carro dominante. Vendo os resultados, eu não vejo esse domínio”, disse Vettel, entrevistado pela revista britânica ‘Autosport’.
 
Para sustentar a tese, Vettel recorda o fim de semana da única vitória após as férias de agosto: o GP da Bélgica. Mesmo em um fim de semana de sucesso da Ferrari, a Mercedes aparentou ter ritmo para ir ao alto do pódio sem surpresas.
 
“Nós não teríamos a pole em Spa, independente das condições climáticas. Conseguimos vencer por causa do traçado, pela Eau Rouge ser de pé cravado. Ano passado a gente tinha um déficit de potência e é por isso que não conseguimos ultrapassar [o Hamilton]. Esse ano não tínhamos [déficit de potência], então usei o vácuo e consegui passar. Mas o fato é que Lewis sempre ficou 1s, 2s, 3s atrás. Era o mesmo ritmo, nos mesmos décimos, até que ele desistiu. É por isso que vencemos com vantagem de 8s. Isso não é uma corrida dominante para mim, e sim uma briga apertada”, ponderou.
Ferrari dominante? Sebastian Vettel discorda (Foto: Beto Issa)
“Você precisa de velocidade para brigar pelo título. Ano passado nós estávamos muito bem até a metade do campeonato, e depois algumas pistas não foram boas para nós, tivemos abandonos e perdemos a boa fase. Isso aconteceu também porque não fomos rápidos o suficiente. Infelizmente aconteceu algo parecido esse ano, com algumas corridas em que simplesmente não tínhamos ritmo em comparação com a Mercedes”, lamentou.
 
Depois de vencer em Spa, Vettel se viu com um problema duplo: não só a Ferrari ficar consideravelmente atrás da Mercedes entre os GPs de Singapura e do Japão, o próprio alemão se tornou errático. Incidentes nos GPs da Itália, do Japão e dos Estados Unidos foram a pá de cal na briga pelo título, que caiu confortavelmente nas mãos de Hamilton.

O Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 acontece este ano nos dias 9, 10 e 11 de novembro, no autódromo de Interlagos. Os ingressos para a corrida estão disponíveis no único site oficial do evento: www.gpbrasil.com.br