Vettel passeia na brita, mas lidera manhã do 5° dia de testes em Barcelona

Sebastian Vettel teve uma manhã de altos e baixos em Barcelona. O alemão foi quem chegou mais perto do limite em uma sessão marcada pela baixa aderência após uma noite chuvosa, mas também perdeu controle e passeou na brita

A quinta-feira (27) reservou uma manhã diferenciada de testes da Fórmula 1 em Barcelona. Pela primeira vez na pré-temporada a chuva deu as caras. Foi durante a noite, mas bastou para tirar a aderência do asfalto e deixar os pilotos em apuros. E ninguém representou isso melhor do que Sebastian Vettel: o alemão, mesmo rodando e quase atolando na brita, ainda conseguiu o melhor tempo da sessão matinal.
 
Vettel anotou 1min16s841 com pneus C5. Não foi um tempo particularmente veloz na comparação com os vistos na primeira semana, o que já era de se esperar para um asfalto que não estava em seu melhor dia. Lance Stroll, tirando proveito da pouca vontade de rivais de forçar seus carros, colocou a Racing Point na segunda posição com o tempo de 1min17s118. Dessa forma, segue a escrita de uma equipe que é presença constante no top-5 da tabela de tempos ao longo dos testes.
 
Um inesperado Nicholas Latifi surgiu em terceiro com 1min17s313, também aproveitando os compostos mais macios da Pirelli. Lando Norris foi o quarto colocado com 1min17s573.
Sebastian Vettel foi o mais rápido em uma manhã conturbada (Foto: AFP)

Max Verstappen foi quinto, mas teve uma manhã conturbada. O holandês foi outra vítima da baixa aderência de Barcelona, rodando na curva 5, a mesma de Vettel. O piloto não teve a mesma sorte do alemão, atolando na brita. O sexto colocado, Valtteri Bottas, conhece o drama: o finlandês cometeu o mesmo erro do holandês e chegou perto de atolar, escapando também incólume. Outro que conheceu melhor a brita catalã foi Antonio Giovinazzi: o italiano perdeu controle na curva 4, batendo e acabando com a traseira da Alfa Romeo.

Saiba como foi a manhã do quinto dia de testes da Fórmula 1:

Pela primeira vez desde o início dos testes de inverno deste ano, a pista em Barcelona esteve molhada. Resultado da chuva que deu o ar da graça durante a noite. O asfalto, contudo, não chegou a encharcar, o que levou as equipes a optarem pelos pneus intermediários nos primeiros minutos da atividade desta quinta-feira, com 10ºC de temperatura ambiente pela manhã.
 
Esteban Ocon, com a Renault, foi o primeiro piloto a acelerar neste penúltimo dia de pré-temporada. Além do francês, estavam escalados Lando Norris, da McLaren; Kevin Magnussen, piloto da Haas; Pierre Gasly, a bordo da AlphaTauri; Lance Stroll, ao volante da Racing Point; Max Verstappen, de volta ao cockpit da Red Bull; Nicholas Latifi, com a Williams; Antonio Giovinazzi, no carro da Alfa Romeo; Valtteri Bottas, com a Mercedes; e Sebastian Vettel, na Ferrari.
 
Ocon abriu a tabela de tempos com 1min45s701, marca que, naturalmente, foi superada com folga nos minutos seguintes e com a pista cada vez mais seca. Bottas, nas suas primeiras passagens, ainda com os pneus intermediários, não teve problemas para virar 1min31s214. 
Sebastian Vettel passeou pela brita (Foto: Reprodução/Twitter)

Quem teve problemas foi Nicholas Latifi, que pilotou o FW43 com o terceiro motor instalado pela Mercedes — após duas quebras registradas em Barcelona. O canadense chegou a passar pela brita depois de escorregar e, por pouco, não acertar a barreira de proteção. Em seguida, o dono do carro #6 voltou aos boxes.

 
O primeiro piloto a deixar os boxes com pneus slicks (C2) foi Verstappen, que guiou o Red Bull RB16 com vários sensores acoplados ao carro para a execução de testes aerodinâmicos. Norris, por sua vez, saiu com pneus C5 para o complemento de uma volta de instalação antes de voltar à base da McLaren. Mas foi Bottas o primeiro a fazer um tempo mais significativo. Com pneus protótipos que a Pirelli desenvolve para Zandvoort, palco do GP da Holanda, o finlandês virou 1min20s454, sendo seguido por Norris, com 1min22s223.

Foi o início de uma série de voltas rápidas. Giovinazzi, por exemplo, marcou 1min19s670 com pneus C3 (médios) e subiu para primeiro por alguns segundos, antes de Vettel cravar 1min19s373 e tomar a ponta. E depois que Stroll superou os dois e assumiu a liderança com 1min19s244, mas com pneus macios (C4), Giovinazzi cometeu um erro, rodou com sua Alfa Romeo na curva 4 e bateu de leve a traseira do carro na barreira de proteção de pneus. O piloto conseguiu ainda voltar para os boxes, mas foi o bastante para a interrupção do teste.

Foram oito minutos de bandeira vermelha, permitindo que fiscais trabalhassem em paz na limpeza dos cacos do carro #99. Quando a bandeira verde foi agitada novamente, o sol cada vez mais forte sinalizava que estava tranquilo andar de pneus slick.
 
Foi a deixa para pilotos das equipes médias pisarem fundo. Norris registrou 1min18s562 com pneus C3. Magnussen, também com o composto médio, subiu para segundo, 0s5 mais lento. Até mesmo Latifi, de Williams, conseguiu surgir em terceiro. Com C2, o segundo mais macio, o canadense ficou 0s6 atrás do líder da McLaren.
 
As equipes médias se arriscavam um pouco mais na pista que pouco antes já tinha vitimada Giovinazzi. Foi só depois disso que os pilotos de ponta ganharam mais confiança para voltar a acelerar. Bottas, também de C3, conseguiu 1min18s535 sem muito esforço.

Lance Stroll foi o segundo mais rápido (Foto: Racing Point)

O tempo de Valtteri era decente, mas não seria suficiente para pontear a manhã: Stroll voltou à pista e, mesmo com os duros C4, conseguiu andar 0s3 mais rápido. Para Bottas, entretanto, o pior ainda estava por vir: na aproximação da curva 5, o finlandês perdeu a traseira por uma fração de segundo e, na tentativa de corrigir, passou reto e foi para a brita. A sorte é que o carro prateado ainda estava em velocidade, o que permitiu que o piloto apenas desacelerasse e, sem atolar, voltasse à pista.
 
Verstappen, entretanto, não teve a mesma sorte. O piloto da Red Bull passou pelo mesmo problema de Bottas, perdendo a traseira, só que rodou na tentativa de corrigir. Ao entrar rodando na caixa de brita, o holandês não teve chances de evitar o atolamento, trazendo a segunda bandeira vermelha do dia.
 
Tão logo a interrupção chegou ao fim, os pilotos voltaram à pista. Era o melhor momento para isso, já que o sol esquentava a pista rapidamente. Vettel fez bom uso disso, conseguindo o tempo de 1min17s093 com pneus C4. Só que o bom momento do alemão terminou aí: pouco depois, Sebastian perdeu controle na mesma curva 5 que já havia surpreendido Bottas e Verstappen. A diferença é que o alemão rodou na saída, não na entrada. A Ferrari chegou perto de atolar, mas Seb escapou por pouco. Ainda assim, a bandeira vermelha seria necessária para limpar a pista novamente.

A paralisação foi breve, durando sete minutos. Restaria menos de 30 minutos para que pilotos fizessem testes finais. O foco acabou caindo sobre as voltas rápidas. E o próprio Vettel, já com carro avaliado e liberado após o passeio na brita, melhorou ainda mais ao anotar 1min16s841 com pneus C5.

GRANDE PRÊMIO cobre AO VIVO, em TEMPO REAL e ‘in loco’ os testes de pré-temporada da F1 em Barcelona com o repórter Vitor Fazio. Siga tudo aqui.

F1 2020, Barcelona, pré-temporada, dia 5:

1 S VETTEL Ferrari 1:16.841   48 C5
2 L STROLL Racing Point Mercedes 1:17.118 +0.277 30 C3
3 N LATIFI Williams Mercedes 1:17.313 +0.472 43 C4
4 L NORRIS McLaren Renault 1:17.573 +0.732 43 C2
5 M VERSTAPPEN Red Bull Honda 1:17.738 +0.897 28 C2
6 V BOTTAS Mercedes 1:17.985 +1.144 47 C3
7 E OCON Renault 1:18.013 +1.172 34 C4
8 K MAGNUSSEN Haas Ferrari 1:18.225 +1.384 31 C3
9 A GIOVINAZZI Alfa Romeo Ferrari 1:19.670 +2.829 16 C3
10 P GASLY AlphaTauri Honda 1:22.566 +5.725 35 C2

Paddockast #49
RAÍ CALDATO: O ARTISTA PREFERIDO DE LEWIS HAMILTON

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube