Vettel rebate críticas da mídia italiana e chefe da Ferrari prega otimismo “com humildade, mas também com confiança”

A boa performance no fim de semana do GP do Canadá foi vista como encorajadora por Sebastian Vettel, que rebateu as críticas recentes por parte da imprensa italiana: “Talvez agora eles possam escrever algo bom”

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

Na esteira do desempenho apagado da Ferrari no GP de Mônaco, há duas semanas, a imprensa italiana não perdoou a escuderia de Maranello. Duas das principais publicações esportivas do país detonaram a equipe, e nem Sebastian Vettel escapou. Segundo o ‘Corriere della Sera’, o tetracampeão é “uma sombra triste” do que foi em 2015, enquanto Kimi Räikkönen, segundo o ‘La Gazzetta dello Sport’, “é um desastre”. Mas a performance encorajadora em Montreal, no último domingo (12), mostrou uma nítida melhora da Ferrari, sobretudo com Vettel.
 
E foi o próprio Vettel, segundo colocado no GP do Canadá, quem tratou de rebater as críticas da mídia italiana. O tetracampeão do mundo terminou em segundo lugar e só não venceu porque a Ferrari adotou uma estratégia ousada, mas que depois se mostrou equivocada, ao levar tanto o alemão como também Räikkönen a uma tática de duas paradas. Lewis Hamilton, o vencedor, fez apenas um pit-stop.
Sebastian Vettel respondeu à imprensa italiana após ter brilhado em Montreal (Foto: Ferrari)
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

“Às vezes parece que a imprensa italiana é nosso maior inimigo, então talvez agora eles possam escrever algo bom”, bradou Vettel em entrevista ao ‘La Gazzetta dello Sport’.

 
Por sua vez, Maurizio Arrivabene, chefe da escuderia de Maranello, acredita que a Ferrari deve se sentir otimista depois do bom trabalho feito em Montreal, pregou “humildade, mas também confiança”.
 
“Respondemos aos problemas da Espanha e de Mônaco e entendemos o carro melhor agora. A diferença para a Mercedes caiu, mas ainda não é o bastante”, salientou o dirigente italiano, que evitou criticar a performance de Räikkönen que, diferente de Vettel, não brilhou no Canadá e foi só o sexto colocado.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

“Kimi teve problemas neste fim de semana, e isso acontece nas corridas. Às vezes, alguns finais de semana são perfeitos, enquanto outros, não”, complementou o chefe da Ferrari

 
Agora, a escuderia de Maranello segue para o Azerbaijão para comprovar a evolução do carro e consolidar a aproximação em relação à Mercedees já neste próximo fim de semana.
PADDOCK GP #32 DEBATE MotoGP, F1, INDY E STOCK CAR

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar