Vettel segura tempo da manhã para colocar Ferrari na ponta no 5º dia de testes

Foi com a marca conquistada ainda pela manhã que a Ferrari, enfim, se viu à frente na tabela de tempos em Barcelona, nesta quinta-feira (27). Sebastian Vettel foi o autor da volta mais rápida, embora tenha passado a sessão vespertina se dedicando à simulação de corrida. Ao contrário dos italianos, a Mercedes terminou o quinto dia de testes mais cedo, com uma falha de motor

Finalmente, a Ferrari mostrou sinais de reação e apareceu na frente na tabela de tempos em Barcelona, onde a Fórmula 1 disputa a pré-temporada 2020. A SF1000, criação dos italianos para o campeonato que começa no mês que vem – se tudo seguir como planejado –, esbanjou confiabilidade e velocidade neste quinto dia de testes coletivos. Foi o tempo registrado ainda pela manhã que garantiu a liderança. A marca de 1min16s841 veio ajudada pelos pneus C5, a gama mais macia da Pirelli. Na parte da tarde, o tetracampeão se dedicou ao ritmo de corrida e preferiu andar com os compostos mais duros, sobretudo com os C2 – brancos, embora tenha testado também com os amarelos C3 e os vermelhos C4 na hora derradeira. Impressionou a performance constante com o carro mais pesado. Apesar do dia produtivo, Seb não passou ileso de erros. Inclusive, foi um dos responsáveis por uma bandeira vermelha na fase matutina dos trabalhos, depois de uma bela rodada, sem consequências.

 

Quem mais se aproximou do carro de Maranello foi uma surpreendente AlphaTauri. Pierre Gasly surgiu bem nesta quinta-feira (5), depois de também trabalhar em quilometragem, mas sem deixar a velocidade de lado. Curiosamente, o francês obteve seus melhores tempos à tarde, escalando o pelotão até a segunda posição, a 0s2 de Vettel. Lance Stroll, com essa Racing Point equilibradíssima, também andou próximo. Na verdade, o canadense passou grande parte do dia na vice-liderança, mas a ótima simulação de corrida depois do almoço impediu qualquer batalha por uma colocação melhor. Assim, Stroll terminou em terceiro. O estreante Nicholas Latifi foi uma das surpresas do dia ao colocar a Williams na quarta posição da folha de tempos. Lando Norris completou o top-5, com a McLaren.

Enquanto isso, a Mercedes viveu um dia de raro problema. Depois das 47 voltas de Valtteri Bottas pela manhã, Lewis Hamilton foi capaz de completar apenas 14 à tarde. Isso porque, ainda no início do stint, o W11 apresentou uma falha mecânica e obrigou o hexacampeão parar na pista. Foi a única bandeira vermelha da tarde na Catalunha. A equipe prata imediatamente começou uma investigação e descobriu que o contratempo foi causado por uma anomalia na pressão de óleo do motor. Dessa forma, o britânico sequer pode retomar as atividades.

Sebastian Vettel (Foto: AFP)

Saiba como foi a manhã do quinto dia de testes da Fórmula 1

Depois de a Ferrari aparecer pela primeira vez na ponta da tabela de tempos em Barcelona, a tarde do quinto dia de testes da F1 teve início com as famosas simulações de corrida, repetindo o que já havia acontecido na quarta-feira. Pierre Gasly, Daniel Ricciardo e Alex Albon, sendo que esses dois últimos assumiram Renault e Red Bull, respectivamente, na sessão vespertina, foram logo à pista. Primeiro para giros de instalação e, depois, para o início propriamente dito dos trabalhos.

Enquanto Gasly já dava início ao um stint mais longo com os pneus C2 (duros/brancos), Ricciardo rapidamente começou a virar marcas na casa de 1min19s499, mas usando os C3 – os compostos médios e de cor amarela. Também se juntaram ao australiano, além do tailandês e do francês, Nicholas Latifi e Kevin Magnussen. Todos andando em ritmo de corrida, com tanque cheio. Sebastian Vettel, dono do melhor tempo da manhã, foi outro que retomou as atividades nos primeiros minutos da tarde catalã. O alemão veio calçado com os compostos C2.

Lance Stroll seguiu forte com a Racing Point nesta quinta (Foto: Racing Point)

Alguns minutos mais tarde, Lance Stroll deixou os boxes da Racing Point e passou a se dedicar às simulações. O pneu C3 foi o escolhido pelo canadense. Enquanto isso, o tetracampeão da Ferrari se esquiava de um erro na curva 5, mas seguia virando tempos na marca de 1min23s755.

Também por conta do trabalho voltado para o desempenho em GP, não houve registro de mudanças na tabela de tempos na primeira hora de ações à tarde. E só quando relógio marcava 15h17 (hora local), a Mercedes enfim mandou Lewis Hamilton à pista. O hexacampeão assumiu o W11, depois de Valtteri Bottas conduziu os testes matutinos. Hamilton seguiu os colegas e saiu com os C3. Os primeiros tempos já deixaram evidente que a equipe prata decidiu por mais peso no carro, para cumprir longas distâncias.

Falando em ritmo de corrida, é bom destacar a performance constante que Vettel conseguiu impor com a Ferrari, depois de pequenos erros no início do stint. O piloto do carro #5 começou a virar com os C2 em 1min24s075 e seguiu nessa toada por 20 voltas, antes de retornar aos boxes. Enquanto isso, alguns minutos mais tarde, a sessão vespertina testemunhava sua primeira bandeira vermelha: sim, a Mercedes surgia parada na pista.
Lewis Hamilton quebrou após 14 voltas (Foto: Reprodução)

Hamilton apareceu lento na curva 5 e foi capaz de levar o carro até a área de escape da curva seguinte, aparentemente preso em terceira marcha. Após o resgate da Mercedes, a sessão foi retomada poucos minutos antes das 16h (hora local). E aí Stroll, Magnussen, Ricciardo e Latifi não perderam tempo e voltaram na sequência à pista. 

Vettel também retornou ao trabalho de simulação, andando ainda com os pneus C2 e tanque cheio. Sebastian imprimiu o mesmo ritmo forte da primeira parte do stint e atingiu facilmente a marca de 100 voltas no dia. Gasly foi o segundo piloto a ultrapassar os três dígitos, também dedicando a tarde ao desempenho em prova.

Enquanto a Mercedes passou a investigar o problema com o carro – acabou revelando mais tarde que o contratempo se deu por uma falha na pressão de óleo –, as demais equipes tratando de fortalecer a confiabilidade. A Hamilton coube apenas observar dos boxes, uma vez que não houve como retornar à pista. O inglês ficou mesmo com as 14 voltas antes da quebra.
Pierre Gasly apareceu em segundo no fim do quinto dia de testes (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
O fim da tarde na Catalunha, no entanto, viu muita ação. Vettel, Gasly, Stroll, Latifi superaram a marca de 150 giros, sendo que o canadense da Williams atingiu 159 passagens pelo circuito espanhol, o que significa muito para uma equipe que sequer conseguiu testar direito em 2019.
 
Os pilotos também aproveitaram a tarde para as simulações de corrida, usando os diversos tipos de pneus – C2, C3, C4 e C5 –, mas também houve gente, como Gasly, que andou forte e foi capaz de, inclusive, melhorar suas marcas.
 
A F1 volta nesta sexta-feira para o último dia de atividades antes do início do Mundial, em 15 de março, na Austrália. O GRANDE PRÊMIO cobre AO VIVO, em TEMPO REAL e ‘in loco’ os testes de pré-temporada da F1 em Barcelona com o repórter Vitor Fazio. Siga tudo aqui.

F1 2020, Barcelona, Testes coletivos, dia 5:

1 S VETTEL Ferrari 1:16.841   144 C5
2 P GASLY AlphaTauri Honda 1:17.066 +0.225 138 C5
3 L STROLL Racing Point Mercedes 1:17.118 +0.277 130 C4
4 N LATIFI Williams Mercedes 1:17.313 +0.472 159 C4
5 L NORRIS McLaren Renault 1:17.573 +0.732 112 C2
6 M VERSTAPPEN Red Bull Honda 1:17.783 +0.942 31 C2
7 V BOTTAS Mercedes 1:17.985 +1.144 47 C3
8 E OCON Renault 1:18.013 +1.172 37 C4
9 K MAGNUSSEN Haas Ferrari 1:18.225 +1.384 110 C3
10 A ALBON Red Bull Honda 1:18.393 +1.552 61 C2
11 D RICCIARDO Renault 1:18.395 +1.554 59 C3
12 A GIOVINAZZI Alfa Romeo Ferrari 1:19.670 +2.829 92 C3
13 L HAMILTON Mercedes 1:22.425 +5.584 14 C3
Paddockast #49
RAÍ CALDATO: O ARTISTA PREFERIDO DE LEWIS HAMILTON

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube