F1

Vettel supera Rosberg e termina primeiro dia como piloto da Ferrari na liderança dos testes em Jerez

Sebastian Vettel, em seu primeiro dia como piloto da Ferrari, foi o piloto mais rápido no circuito espanhol de Jerez de la Frontera. No outro oposto ficou Fernando Alonso, que deu poucas voltas e acabou em último com a McLaren-Honda
Warm Up, de Jerez de la Frontera / RENAN DO COUTO, de Jerez de la Frontera
 Sebastian Vettel (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
Não que queira dizer muito — são apenas testes de pré-temporada. O resultado dos treinos coletivos da F1 em Jerez, neste domingo (1), certamente não reflete a ordem de forças da categoria para o campeonato que começará em 15 de março. Entretanto, é bastante significativo: em seu primeiro dia de trabalho como piloto da Ferrari, marcando o início de uma nova fase em sua carreira, Sebastian Vettel terminou na primeira colocação.

Na primeira vez em quatro anos que não ostentou o número 1 no bico de seu carro — agora compete com o 5 —, o tetracampeão foi o primeiro a sair dos boxes. Assim que a luz verde se acendeu em Jerez de la Frontera, às 9h de uma fria manhã na Andaluzia, ele entrou na pista com a SF15-T.

Pela manhã, foram apenas nove voltas. O almoço teve de ser antecipado para que fossem feitos ajustes na comunicação entre carro/piloto e equipe. Pela tarde, ele retornou ao cockpit do bólido vermelho e desbancou o até então dominante líder Nico Rosberg, da Mercedes. O melhor tempo, 1min22s620, já é inferior ao da volta mais rápida registrada na semana de testes da F1 em Jerez na mesma época do ano passado.

As imagens do primeiro dia de testes da F1 em Jerez

Em geral, foi um dia bastante tranquilo. Sete equipes colocaram seus carros na pista e houve apenas duas interrupções com bandeira vermelha. Pela manhã após uma saída de pista de Marcus Ericsson com a Sauber, dois minutos de paralisação. À tarde, depois que a Toro Rosso de Carlos Sainz parou no segundo setor do circuito, outra.
 
O que impactou, mesmo, foi a pintura camuflada da Red Bull. A equipe não se preocupou em fazer uma apresentação formal do RB11 e apenas mandou Daniel Ricciardo sair dos boxes e mostrar ao mundo um carro bem diferente. A camuflagem, que será usada apenas nos testes, tem como objetivo confundir as concorrentes e esconder alguns segredos aerodinâmicos do último carro de Adrian Newey.

O período da manhã também permitiu que se visse Sebastian Vettel pela primeira vez com um carro da Ferrari. E, ainda, o retorno de Fernando Alonso à McLaren, 1h43 depois da luz verde. O bicampeão andou pouco com o MP4-30 e o motor Honda, somente seis voltas. Alonso, diga-se, é o centro das atenções no paddock. O motorhome mais cercado pelos fãs é o da McLaren, e a movimentação de fotógrafos e cinegrafistas na porta de sua garagem quando o motor Honda foi ligado também foi grande.
 
No mais, apenas um dia tranquilo de testes.

O destaque positivo deve ir, mesmo, para a Mercedes. É impressionante ver uma equipe completar, no primeiro dia da pré-temporada, tantas voltas — foram mais de 150. Rosberg não percorreu a distância só de uma corrida, mas de quase duas e meia. Mais do que o tempo anotado, terceiro, 0s157 atrás de Vettel e mais lento também que a Sauber do sueco Marcus Ericsson, a quilometragem é um bom indício de como a Mercedes chega em 2015 determinada a manter a ótima performance do ano passado.

Ericsson, na Sauber, foi mais um que superou a distância de uma prova, bem como Valtteri Bottas com a Williams — o finlandês fechou em quinto.

Alonso é que andou muito pouco. Foram apenas seis giros e um tempo de 1min40s738. A McLaren, na metade da tarde, informou que estava rastreando um problema e enquanto isso ficaria parada. Ficou pelo resto do dia.

A Lotus, nem andou. O carro não chegou a Jerez a tempo de participar deste primeiro dia. Ausência sentida também foi a da Force India — essa, nem viajou para a Espanha, sem um carro pronto e sem dinheiro para tal. Debutará só em Barcelona.

E se não servem para indicar muito a respeito do equilíbrio de forças da F1 2015, os testes deste domingo ao menos atestam a evolução das unidades de força V6 turbo nos últimos 12 meses. Quando elas estrearam no mesmo circuito, em 28 de janeiro de 2014, Kimi Räikkönen anotou um melhor tempo de 1min27s104 com a F14T. Não só esse tempo foi superado, como as melhores marcas de toda aquela semana de testes. Mercedes, Renault e Ferrari trataram de provar o quanto a tecnologia dos motores que foram introduzidos no ano passado melhorou.

Os trabalhos das equipes na primeira bateria de testes da pré-temporada continua nesta segunda-feira, com a estreia do piloto brasileiro Felipe Nasr, de 22 anos, pela Sauber.

F1, Treinos coletivos, Jerez de la Frontera, dia 1:

1 1 SEBASTIAN VETTEL ALE FERRARI 1:22.690   59
2 9 MARCUS ERICSSON SUE SAUBER FERRARI 1:22.777 +0.087 73
3 6 NICO ROSBERG ALE MERCEDES 1:23.106 +0.416 157
4 3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL RENAULT 1:23.338 +0.648 35
5 77 VALTTERI BOTTAS FIN WILLIAMS MERCEDES 1:23.906 +1.216 72
6 55 CARLOS SAINZ JR ESP TORO ROSSO RENAULT 1:25.327 +2.637 46
7 14 FERNANDO ALONSO ESP McLAREN HONDA 1:40.738 +18.048 6

AO VIVO

O GRANDE PRÊMIO é o único site de esporte a motor brasileiro que vai acompanhar de perto toda a pré-temporada da F1, na Espanha. Neste domingo (1), o repórter Renan do Couto e o fotógrafo Xavi Bonilla vão trazer todas as informações direto da pista de Jerez de la Frontera, palco de lançamentos e da primeira bateria de testes coletivos em 2015.

Sigam tudo AO VIVO e em TEMPO REAL na nossa nova ferramenta de transmissão e participem.
O W06

A Mercedes apresentou neste domingo (1), em Jerez de la Frontera, o W06, carro do time para a temporada 2015 da F1. Lewis Hamilton e Nico Rosberg foram os responsáveis por revelar o bólido ao mundo e o fizeram sem muita demora.
 
Dominante ao longo da temporada 2015, a Mercedes apresentou uma evolução do bólido do 2014, mas ressaltou que as mudanças no regulamento técnico da F1 também apresentou desafios para a produção do W06.

Leia reportagem completa no GRANDE PRÊMIO. 
O FW37

A Williams chamou a imprensa nesta gelada manhã de domingo (1) em Jerez, na Espanha, para apresentar fisicamente o FW37, carro com o qual vai disputar a temporada 2015. Antes, a equipe apenas havia divulgado fotos pela internet.
 
Bem bonito, o modelo azul e branco possui uma aerodinâmica diferenciada em relação aos outros carros já mostrados. O FW37 traz certos resquícios do regulamento do ano passado com seu 'bico-mamilo', possui uma curva bastante uniforme do cockpit até a ponta do bico e, na traseira, uma espécie de barbatana encerrando a carenagem que cobre o motor.

Leia a reportagem completa no GRANDE PRÊMIO.
O RB11

A nova criação da Red Bull apareceu camuflada em Jerez de la Frontera. O RB11, o carro com o qual os tetracampões vão competir na temporada 2015 da F1, surgiu no pit-lane da pista espanhola nesta manhã de domingo (1) sem pompa ou cerimônia. A equipe austríaca sequer fez uma apresentação, apenas divulgou fotos e tratou de botar Daniel Ricciardo logo no circuito, para a primeira volta de instalação.
 
O modelo, provavelmente o último projeto totalmente assinado pelo gênio Adrian Newey, vai usar uma pintura provisória por enquanto, em preto e branco. Do que se pode perceber, as linhas são refinadas, como sempre, e o bico é mais baixo também, mas um pouco mais curto, diferente das soluções usadas por Ferrari e Toro Rosso, por exemplo. É bem parecido com o desenho da Mercedes.

Leia a reportagem no GRANDE PRÊMIO.