Villeneuve cria teoria da conspiração, diz que Kubica pode sabotar titulares da Williams e revela: “Faria o mesmo”

Jacques Villeneuve não foge de uma boa polêmica. Ainda mais por estar no posto de comentarista da emissora italiana Sky. O campeão mundial em 1997 falou sobre o cenário atual da Williams e acredita que Robert Kubica pode, conscientemente, dificultar a tarefa dos titulares Lance Stroll e Sergey Sirotkin. Tudo para ‘puxar o tapete’ e pilotar o FW41 em corridas

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Último piloto a conquistar um título mundial de F1 pela Williams, Jacques Villeneuve tornou-se, nos últimos tempos, um personagem polêmico do paddock. Com o microfone da emissora italiana Sky, da qual é comentarista, a postos, o canadense não foge de temas espinhosos e geralmente dá opiniões pra lá de contundentes sobre vários assuntos. Crítico contumaz de Lance Stroll e também do próprio Robert Kubica na sua tentativa de voltar à F1, Villeneuve criou uma teoria da conspiração envolvendo o polonês.

 
Kubica foi alçado de volta à F1 na condição de piloto reserva e de desenvolvimento da Williams. O polaco perdeu a concorrência por uma vaga de titular para Sergey Sirotkin, que teve em seu favor um bom aporte financeiro oriundo da Rússia. Sirotkin forma a dupla mais jovem do grid com Lance Stroll.
 
Mas Villeneuve acredita que Kubica pode ‘puxar o tapete’ dos titulares e atrapalhar Sirotkin e Stroll. Tudo para assumir a vaga de titular na Williams. Algo que o próprio Jacques faria se estivesse no lugar do veterano europeu.
Villeneuve crê que Robert Kubica pode sabotar o carro da Williams (Foto: Williams)
“Robert é o piloto de desenvolvimento do carro e é possível que, conscientemente, ele dificulte a tarefa dos outros pilotos. Seu sonho é pilotar o carro, não ser o terceiro piloto, portanto não subestimo esse ponto. Na sua situação, faria exatamente o mesmo”, disparou o canadense, que vê a Williams 
 
 
 
"Eu honestamente não entendo. No fim da carreira, Kubica estava tendo dificuldades contra [Vitaly] Petrov. Ele ganhou uma corrida, como Maldonado, e depois disso fez mais o quê?", questionou em entrevista ao site canadense 'F1nalap.be'. "Some a isso o fato de que não se recuperou 100% da habilidade e ninguém imagina como ele vai lidar com a F1? Ou talvez os carros sejam muito fáceis de guiar", sugeriu.
 
"Se ele não tivesse tido um problema, não teria ganho uma segunda chance", cravou. "É isso que me choca! É um golpe de publicidade, e me incomoda porque tem muita gente que merece mais, mas não ganha uma segunda chance. É difícil de aceitar. Mas é ótimo para ele", disparou.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A época, Villeneuve lembrou a convivência que teve com Kubica enquanto eram titular e reserva da Sauber em 2006 antes de ter sido substituído pelo polonês. 

 
"[Kubica] era nosso terceiro piloto quando eu estava na Sauber BMW e, para ser honesto, ele era insuportável naquela época. Socialmente era muito difícil. Para mim, foi um período complicado", afirmou. "Você precisa mostrar respeito no paddock. Precisa respeitar o que os outros atingiram para respeitar o ambiente em que você trabalha. Então, para mim, é difícil imaginar que ele tenha um retorno positivo à F1", encerrou.
”RECOMEÇA A BRIGA”

MERCEDES COMEÇA TEMPORADA AINDA À FRENTE DA FERRARI

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube