F1

Villeneuve diz que Williams “não é mais uma equipe de corrida” e critica: “Apenas o lucro importa”

Jacques Villeneuve mais uma vez deu duras declarações. Falando agora sobre a Williams, o canadense afirmou que o time não está mais tão interessado em ser uma equipe de corrida, mas ser uma entidade pública que gera lucros no final do ano

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Jacques Villeneuve atacou mais uma vez com suas declarações polêmicas. Direcionando suas palavras agora para a Williams, o canadense afirmou que a equipe não está preocupada em vencer corridas de Fórmula 1, mas sim em conseguir lucrar no final do ano.
 
A esquadra inglesa vem passando por uma difícil fase na categoria. Com problemas no carro e pouca competitividade, se acostumou a correr no fundo do pelotão. Entretanto, mesmo terminando o Mundial de Construtores na última colocação em 2018, fechou a temporada no azul.
 
Villeneuve, que foi o último piloto a ser campeão pelo time, em 1997, criticou então a forma como a escuderia tem enfrentado sua situação. “A Williams não é mais uma equipe de corrida”, disse em entrevista ao jornal ‘Le Journal de Montreal’.
Robert Kubica (Foto: Williams)
“É uma entidade pública que deve se reportar no final do ano, e satisfazer seu presidente e diretor administrativo. A equipe gerou um lucro de $16 mi [cerca de R$ 62 mi] em 2018, então está indo bem”, seguiu.
 
“Mas se a empresa fez tanto dinheiro, é porque não gastou o suficiente na equipe. O presidente não quer vencer na F1, apenas quer fazer o máximo de dinheiro possível para os sócios. É só isso o que importa...”, completou.
 
Mas a situação da Williams pode mudar no futuro. De acordo com informações do ‘Motorsport Italia’, Dmitry Mazepin, pai de Nikita, se reuniu com a escuderia de Grove durante o final de semana do GP da China. O assunto da reunião foi sobre a possibilidade do empresário comprar a tradicional equipe.