Vitória na Hungria deixa Vettel junto de Alonso com recorde de maior pontuador da história do Mundial de F1

Graças aos 25 pontos somados neste domingo em Hungaroring, agora o tetracampeão divide uma grande marca com Fernando Alonso. Sebastian Vettel chegou aos 1778 pontos, sendo o maior de todos no quesito na F1. Entretanto, a contagem lista números absolutos, desconsiderando a sensível mudança no sistema de pontuação em 2010

De certa forma, o dia 25 de julho de 2015 é um dia histórico para Sebastian Vettel e para a própria F1. Além de ter conquistado a 41ª vitória da carreira, o tetracampeão também empatou com Fernando Alonso como o maior pontuador da história de 65 anos do Mundial.

Na verdade, ele tinha tudo para conquistar o recorde, não fosse o heroico quinto lugar de Fernando Alonso com a McLaren Honda em uma corrida maluca na Hungria.

Vettel emocionado no pódio (Foto: Reprodução/Twitter)
Sebastian perseguia o recorde pertencente a Fernando Alonso, e agora está empatado no ranking. Ambos têm 1778 pontos na carreira. A diferença é que Vettel chegou a tal marca em 149 corridas, contra 244 de Alonso. A média do alemão, que também tem nove vitórias a mais no currículo, é de 11,93, melhor que os 7,29 do espanhol.
 
Contudo, embora tenha sua inegável importância, o recorde de pontuação alcançado neste domingo por Vettel considera os números absolutos e, portanto, compreende a significativa mudança no sistema adotada desde 2010.
 
Até então, a F1 entregava ao vencedor dez pontos. A partir de 2010, coincidentemente no começo da ‘dinastia Vettel’, a categoria decidiu aumentar consideravelmente a pontuação por vitória para valorizar a conquista. Assim, o dono do primeiro lugar passou a receber 25 pontos, com 18 ao segundo colocado, 15 ao terceiro e 12 ao quarto. O quinto lugar teve pontuação igual ao do vencedor até um ano antes, ou seja, dez pontos.
 
Assim, é natural que os pilotos da chamada nova geração da F1 tenham mais pontos em relação à velha guarda. Além de Vettel e Alonso, em segundo lugar, Lewis Hamilton forma o top-3 com 1688. Michael Schumacher, o maior vencedor da história da F1, voltou a competir entre 2010 e 2012 após a aposentadoria anunciada em 2006, acrescentou 125 pontos à sua já laureada contagem, totalizando assim 1566.
 
Em 2014, houve uma nova mudança no sistema de pontuação para a última prova do calendário. O GP de Abu Dhabi distribuiu pontos em dobro, de modo que Lewis Hamilton, que triunfou em Marina de Yas, recebeu nada menos que 50 tentos. Entretanto, a novidade foi abolida para a temporada 2015.
 
Jenson Button surge como quinto na estatística, seguido por Kimi Räikkönen e Nico Rosberg. Mark Webber, já aposentado da F1 e hoje no Mundial de Endurance, ocupa o oitavo lugar, logo à frente de Felipe Massa. Alain Prost, tetracampeão como Vettel, é o décimo lugar, com 798,5 pontos. Ayrton Senna, por sua vez, está em 12º lugar na lista, com 614, enquanto Nelson Piquet tem 485,50.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube