Vontade da Ferrari em cumprir desejo de Marchionne aproxima Leclerc da vaga de titular, afirma revista

A revista britânica ‘Autosport’ conta que Sergio Marchionne tinha em mente promover Charles Leclerc a titular da Ferrari. Mesmo com parte da cúpula sendo mais favorável à permanência de Kimi Räikkönen, o jovem monegasco está mais perto da vaga

Era esperado para o fim de semana do GP da Itália uma definição sobre a vaga disponível da Ferrari para a próxima temporada. Tradicionalmente, a escuderia de Maranello prepara para Monza seus anúncios a respeito do ano seguinte, mas a indefinição sobre quem vai ser o futuro companheiro de Sebastian Vettel — este com contrato firmado até 2020 — ainda persiste. Na dúvida entre a experiência de Kimi Räikkönen ou a juventude de Charles Leclerc, a vontade da Ferrari em honrar o desejo de Sergio Marchionne, morto no último 25 de julho, pode falar mais alto.
 
De acordo com a revista britânica ‘Autosport’, o antigo presidente da Ferrari tinha o desejo de promover Leclerc a titular na próxima temporada. Com a sua morte, ocorrida em decorrência de um agravamento de saúde na esteira de um câncer no pulmão, o ítalo-americano John Elkann, neto de Gianni Agnelli, assumiu como presidente da Ferrari, enquanto o egípcio Louis Camilleri foi nomeado como novo CEO. Camilleri é apontado como amigo bastante próximo a Kimi e, portanto, favorável à sua permanência.
 
Segundo a revista alemã ‘Auto Motor und Sport’, o plano era anunciar Leclerc como titular para 2019 no sábado. Contudo, a grande pole-position conquistada por Räikkönen, com direito à volta mais rápida da história da F1, frustrou os planos da equipe. No domingo, a Ferrari levou um ‘balde de água fria’ ao ver Lewis Hamilton triunfar e fazer a festa em Monza diante de milhares de tifosi.
Vontade do antigo presidente Sergio Marchionne pode levar Leclerc à vaga de titular da Ferrari (Foto: F1/Twitter)

Leclerc afirmou que se encontrou com o novo presidente da Ferrari, bem como com Michael Manley, presidente da FCA (Fiat Crhysler Automobiles). Mas o piloto lembrou que foi um contato breve, apenas para conhecer os novos comandantes da lendária marca italiana.

 
“John veio mais cedo aqui junto com Michael, o novo presidente da FCA, para integrar toda a a equipe, e foi uma boa oportunidade [para conhecê-los]. Mas foi tão somente uma integração do que falar sobre futuro ou qualquer coisa do tipo”, declarou o piloto em entrevista à ‘Autosport’. Charles também ressaltou que, apesar de ser frequentemente muito elogiado por Marchionne, jamais falou com o antigo presidente da Ferrari.
 
“Nunca tive um contato direto com Marchionne, mas ele falava bem sobre mim o tempo todo. Obviamente, é sempre um prazer ter esses comentários positivos, mas não tive nenhum contato direto com ele”, explicou.
 
Visto como o futuro da Ferrari, Leclerc, aos 20 anos, prefere se manter alheio ao tema e deixa a decisão para a cúpula da escuderia de Maranello. Contudo, reforça: defender a Ferrari é um sonho que alimenta desde pequeno.
 
“Eles são os únicos a tomarem as decisões. Eles sabem que piloto eu sou e então eles vão avaliar se é suficiente ou não. Ainda sou jovem e ainda tenho muitas corridas para aprender. Em caso de ir para lá, vai ser um sonho a se tornar realidade, mas quanto a dizer se estou pronto ou não, não cabe a mim dizer. Eles me conhecem perfeitamente bem”, disse.
 
“É difícil não ter tudo isso na minha mente porque trata-se de um sonho desde que eu era um menino. Mas estou tentando ter isso na mente o mínimo possível e focar no que estou vivendo no momento”, complementou.
 
Com 14 corridas disputadas até o momento na temporada, Leclerc soma 13 pontos, sendo um dos destaques de 2018 com a Sauber. No GP da Itália do último domingo, Charles cruzou a linha de chegada em 12º, mas foi declarado 11º por conta da desclassificação de Romain Grosjean horas depois da corrida.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube