Webber lamenta ficar pelo caminho no Q2: “É desapontador me classificar só em 11º”

O resultado de Mark Webber na classificação não lhe ajuda muito no campeonato. O australiano estará apenas na sexta fila do grid de largada do GP da Hungria, e verá seus principais rivais na briga pelo título largarem bem à frente no travado Hungaroring

Foi com poucas palavras que Mark Webber comentou o péssimo resultado que conquistou na classificação para o GP da Hungria deste domingo (29). O vice-líder sequer avançou ao Q3, batido que foi por Bruno Senna nos últimos instantes do Q2. Sem mais nada a fazer, o australiano apenas lamentou: “É desapontador me classificar só em 11º”

“Eu estava feliz com o carro nesta manhã, fui rápido no terceiro treino, mas não gostei do último jogo de pneus macios no Q2 e não consegui melhorar o meu tempo anterior, o que é um pouco bizarro”, avaliou o piloto da Red Bull.

Mark Webber ficou nos boxes e viu o Q3 pela TV na Hungria (Foto: Red Bull/Getty Images)

É confiando no ritmo de corrida da Red Bull, “que deve estar ok amanhã”, que ele espera se recuperar neste domingo, em um circuito bastante travado e de difíceis ultrapassagens. Webber se viu em uma situação complicada depois da classificação recentemente, no GP da Europa, quando sequer passou do Q1 e largou em 18º, mas conseguiu a façanha de cruzar a linha de chegada na quarta colocação.

Webber anotou 120 pontos nas dez primeiras corridas da temporada e está na briga pelo título, mas se encontra a 34 pontos do líder, Fernando Alonso, que garantiu a sexta posição no grid de largada para o GP da Hungria. O pole-position é Lewis Hamilton, da McLaren, e Sebastian Vettel, companheiro de Red Bull e terceiro no campeonato, largará também em terceiro.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube