Webber rejeita aposentadoria e fala em renovar com Red Bull por mais uma temporada na F1

Durante entrevista coletiva promovida pela Infiniti nesta quarta-feira (13), em Melbourne, Mark Webber não descartou seguir na Red Bull por mais um ano, mas citou Rubens Barrichello para avisar que não vai mudar para uma equipe média para permanecer mais tempo na F1

► Especial F1 2013, a temporada que vem com rótulo de imprevisível

Mark Webber começa a temporada 2013 cheio de moral com a chefia. Isso porque Dietrich Mateschitz e Christian Horner, dono e chefe de equipe da Red Bull, respectivamente, não esconderam a admiração pelo veterano australiano e lhe ofereceram todo o apoio para brigar de igual para igual com Sebastian Vettel por vitórias e pelo título.

Piloto mais velho da F1 atual, com 36 anos, Webber tem contrato com a Red Bull até o fim da temporada. Rumores e mais rumores aparecem aqui e ali sobre sua eventual aposentadoria, e logo Daniel Ricciardo e Jean-Éric Vergne, hoje titulares da Toro Rosso, são apontados como prováveis sucessores. Mas Webber não quer saber de parar. Tanto que até cogita renovar com a Red Bull por mais um ano.

Durante entrevista coletiva promovida pela Infiniti na manhã desta quarta-feira (13), em Melbourne, o australiano avisou que o futuro está em suas mãos, somente em suas mãos, e não há espaço para preocupação com rumores sobre sua permanência ou não na equipe tricampeã do mundo.

Webber vê com bons olhos sua permanência na Red Bull por mais uma temporada (Foto: Getty Images)

Quando questionado sobre quem seria o piloto favorito para eventualmente assumir seu lugar em 2014, Webber esbravejou contra as especulações. “Realmente não sei… era Kimi [Räikkönen] quem supostamente me substituiria em 2009. Isso vem quando você está em uma equipe de ponta e perto do fim da carreira. E os abutres têm aparecido nos últimos três ou quatro anos”, disparou.

“Certamente haverá um dia em que eu vou parar e alguém vai guiar o carro. E talvez o carro não seja mais competitivo, mas isso não será importante. Enfim, vamos ver o que acontece”, comentou o australiano, que se mostrou muito feliz dentro da Red Bull.

Atento ao que é noticiado pela mídia mundial, Webber tomou conhecimento das declarações de Christian Horner a respeito de uma eventual permanência no time. O piloto oceânico tem feito seguidas renovações de contrato com validade de um ano, e crê que a política pode ser repetida para a próxima temporada. “Acho que isso, provavelmente, é mais fácil para a equipe também. Nós estamos sendo bem-sucedidos ao longo dos últimos anos. Esta é a posição da equipe e é obviamente bom ouvir isso.”

Sobre seu futuro na F1, Webber não descartou correr por outra equipe nesta sua fase final de carreira. Em 2012, o veterano chegou a ser procurado pela Ferrari, mas acabou optando por continuar com a Red Bull. Entretanto, sua intenção é encerrar a carreira defendendo a equipe taurina. “Nunca diga nunca. Para mim, terminar minha carreira [na Red Bull] é bastante provável, mas nunca se sabe. O telefone pode tocar amanhã com outra coisa”, ponderou.

Mark Webber conquistou os melhores resultados da carreira pela Red Bull (Foto: Getty Images)

No entanto, Webber é claro ao dizer que não deixará a Red Bull para seguir sua carreira em uma equipe média apenas para fazer parte do grid da F1. Para exemplificar melhor, Mark citou Rubens Barrichello, que assim como Webber defendeu por muito tempo uma equipe de ponta, mas encerrou a carreira por um time que, embora tradicional, não vivia seus melhores momentos: a Williams.

“A F1 é um negócio engraçado depois de velho… não teria tanta certeza em trocar de equipe mais tarde. Admiro Rubens Barrichello por isso. Eu não poderia ter feito o que fez Rubens, passando de uma equipe de ponta para depois descer. Particularmente não tenho interesse em fazer isso”, finalizou.

 Quem vai se sagrar campeão da temporada 2013 da F1?

 Siga o Grande Prêmio no Twitter

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube