Whitmarsh critica opções da Pirelli, mas defende categoria: "Reclamem dos pneus, se quiserem. Não da F1"

Chefe da McLaren afirma que pilotos gostam de andar no limite e compostos da fabricante italiana fazem com que competidores tenham desempenho abaixo do que gostariam. Horner segue mesma linha e fala em "encontrar um meio termo entre classificação e corrida"


As escolhas de pneus da Pirelli para as três primeiras etapas da temporada 2013 da F1 continuam gerando polêmica. Desta vez, foram os chefes de McLaren e Red Bull, Martin Whitmarsh e Christian Horner, que fizeram críticas à fabricante italiana.
 
Para ambos, os compostos produzidos e levados às corridas se desgastam com muita facilidade, o que faz com que os pilotos guiem abaixo do limite. "Nós sempre podemos fazer melhor, e eu odeio quando os pilotos estão na pista e você sabe que eles estão dando apenas 90%. Não é assim que eu gosto da F1", disse Whitmarsh.
 
"Mas no geral, o fato é que se você fizesse uma enquete aqui [sobre possível vencedor do GP do Bahrein], você teria seis ou sete respostas diferentes. Isso é bom para o esporte."
 
No entanto, o chefe da McLaren reconheceu que ainda que os pneus da Pirelli dificultem o trabalho dos pilotos, por outro lado favorecem o espetáculo, levando ao público corridas mais emocionantes e imprevisíveis.
Chefes de equipe reclamam dos compostos da Pirelli, mas elogiam atual momento da F1 (Foto: Pirelli)
 
"Por favor, eu amo a F1, não vamos escrever críticas sobre a categoria. Aqui, nós saímos dizendo que 'isso é terrível', mas a verdade é que o show não está ruim", admitiu.
 
"Eu prefiro pneus mais duráveis, mas o show que temos visto nos últimos dois ou três anos tem sido melhor do que qualquer coisa que eu já tenha visto nos últimos 25 anos neste esporte. Então tudo o que eu peço é para não reclamarem da F1. Reclamem dos pneus, se quiserem, mas não da F1"
 
Horner seguiu linha de raciocínio semelhante à de Whitmarsh. "Somos acusados de fazer muito barulho sobre essas coisas, mas não acho que seja bom para os pilotos darem 70% de si durante a corrida", afirmou. "Eles querem pressionar e pilotar da melhor forma possível. Eles não querem pilotar em porcentagens".
 
O chefe da Red Bull crê que os pneus pouco resistentes da Pirelli conseguem provocar boas sessões classificatórias, mas não causam o mesmo resultado nas provas.
 
"Trata-se de encontrar um meio-termo entre ter um treino de classificação emocionante e uma boa corrida. Muitas vezes é difícil encontrar o equilíbrio", encerrou.

Paul Hembrey, diretor-esportivo da fabricante italiana, afirmou nesta terça-feira (16) que levará ao GP do Bahrein compostos médios em lugar dos macios – escolha mais conservadora devido à altas temperaturas em Sakhir e do excessivo desgaste dos pneus que isso causará.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube