Williams admite vontade de renovar com Russell e aguarda decisão da Mercedes

Jost Capito, diretor-executivo da Williams, admite importância de George Russell para o futuro da equipe britânica, mas vê a decisão da Mercedes como um possível impasse

Um dos nomes favoritos para assumir uma vaga na Mercedes em 2022, George Russell ainda vê um futuro nebuloso: ao mesmo tempo que depende da decisão da equipe alemã em manter ou não Valtteri Bottas, o jovem britânico quer um contrato longo para permanecer na Fórmula 1. Surge, então, a chance da Williams renovar o acordo com Russell, o que, segundo Jost Capito, diretor-executivo da equipe, é de muito interesse.

“Ele está fazendo um ótimo trabalho, é um piloto fantástico, criamos um relacionamento muito bom e acho que ele se encaixaria muito bem na Williams para futuro. Acho que se ele acreditar em nosso futuro, pode haver um chance de mantê-lo”, disse Capito.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

No entanto, o diretor vê um caminho difícil para manter o #63 na Williams: “George é piloto da Mercedes já há muitos anos, então não acho que eles vão desistir de tê-lo na equipe. Vamos ver. Temos tempo para falar sobre com os pilotos. Não precisamos discutir isso agora.”

George Russell em Mônaco pela Williams. (Foto: Williams)

O contrato atual de Russell com a equipe britânica termina no final da temporada de 2021. Caso estenda seu vínculo com a Williams, terá um nível de estabilidade comparável ao de Lando Norris, que ficará na McLaren por múltiplas temporadas, além de Charles Leclerc, na Ferrari até 2024, e Max Verstappen, que permanece na Red Bull até 2023. A diferença é a qualidade do carro, que não dá muita margem para voos mais altos.

Antes do fim de semana em Mônaco, Russell já havia enfatizado que está ansioso para que seu próximo contrato na F1 seja de vários anos, independentemente de onde ele esteja.

“Acho que a estabilidade e a longevidade são importantes. Acho que é tão claro com as pessoas que mudam como é difícil entrar e se adaptar a uma nova equipe”, relatou o britânico.

“Então, acho que onde quer que eu esteja no próximo ano, gostaria que fosse pelo menos por alguns anos, porque acho que é muito importante ter essa consistência para crescer e progredir”, concluiu.

Fórmula 1 volta à ação no dia 6 de junho, com o GP do Azerbaijão, nas ruas de BakuGRANDE PRÊMIO acompanha diariamente todos os detalhes do Mundial.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar