Williams amplia parceria técnica e passa a usar câmbio da Mercedes a partir de 2022

A equipe de Grove vai receber a partir de 2022 não só os motores Mercedes, mas também câmbio e outros componentes hidráulicos

A Williams ampliou a parceria técnica com a Mercedes. Em um comunicado enviado à imprensa nesta terça-feira (5), a equipe de Grove anunciou que a partir de 2022 contará não só com o motor, mas também com câmbio e outros componentes hidráulicos.

Desde o início da era híbrida na Fórmula 1, em 2014, a Williams conta com motores Mercedes, mas, historicamente, produzia o próprio câmbio e itens hidráulicos relacionados. De acordo com a equipe, a mudança vai permitir que ela “foque seus recursos mais eficientemente em outras áreas”.

Williams ganhou novo dono durante a temporada 2020 (Foto: Williams)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

“Estou muito satisfeito por ver nossa ótima relação com a Mercedes expandida para além do fornecimento de motores”, disse Simon Roberts, chefe do time. “A Williams é uma equipe independente, mas a F1 está sempre evoluindo e, como time, precisamos reagir agilmente ao clima atual para colocarmos a equipe na melhor posição para que seja competitiva na pista”, seguiu.

“Este acordo de longo prazo com a Mercedes é um passo positivo e faz parte de nossos objetivos estratégicos para o futuro enquanto ainda conseguimos manter nossa capacidade de projeto e construção em casa”, completou.

Chefe da Mercedes, Toto Wolff celebrou a ampliação dos laços e revelou que as equipes já discutem o assunto há algum tempo.

“Estamos felizes por expandir a cooperação técnica com a Williams por este novo acordo. Para a Williams, faz sentido adquirir um trem de força integrado após utilizar nossa unidade de força desde 2014; para nossa equipe, faz sentido, em termos de economia de escala, este fornecimento para outra equipe sob as novas regras”, apontou Wolff. “É um projeto que discutimos com a Williams há algum tempo e, agora, estamos contentes em fazer essa extensão acontecer”, encerrou.

2020 já foi um ano de grandes mudanças para a Williams na Fórmula 1. Em agosto passado, a lendária escuderia de Frank Williams anunciou que tinha sido vendida para um fundo de investimentos norte-americano, a Dorilton Capital. Apesar do negócio, o nome permanecerá o mesmo.

LEIA TAMBÉM
+ GRANDE PRÊMIO fecha 2020 com dezembro recorde e marcas históricas em F1, MotoGP e F2

https://open.spotify.com/episode/56EWZtjjXZerTSc5mEGdpr?si=dXJwGloaQQ6ZEGdY1gUInQ&nd=1
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar