F1

Williams mira fazer “de tudo” para manter “futuro campeão” Russell

A passagem de George Russell pela Williams não vai ser algo efêmero, acredita a chefe Claire Williams. A dirigente diz que vai segurar o britânico o máximo possível para impulsionar os planos de evolução no pelotão intermediário

Grande Prêmio / Redação GP, de Porto Alegre
George Russell tem vínculo com a Mercedes, mas isso não significa que a passagem pela Williams seja algo efêmero. Não no que depender de Claire Williams, pelo menos: a chefe quer ajudar o piloto britânico a evoluir em um projeto de longo de prazo que envolve também a recuperação da escuderia na Fórmula 1.
 
“Ainda não tivemos conversas sobre o George [Russell] talvez deixar a equipe no curto prazo, até porque o contrato dele é de longo prazo”, disse Williams. “Para mim, eu sinto que o George é um futuro campeão mundial. Por que eu iria querer perder o George? Eu faria de tudo para mantê-lo na Williams”, seguiu.
 
Russell tem contrato para 2020 com a Williams. Um dos motivos para a equipe aceitar o britânico, aliás, é a disposição para assinar um contrato duradouro. Ao longo da passagem do atual campeão da F2 por Woking, Claire quer voltar às brigas pelo pelotão intermediário.
Até onde vai o casamento de George Russell com a Williams? (Foto: Williams)
“Minha ambição é um dia dar ao George um carro que o permita competir pela liderança do pelotão intermediário, tomara que lutando por pódio. Isso vai levar um tempo, claro, mas precisamos ter ambição. George é parte importante do futuro da Williams. Nossa decisão ficou muito clara quando o trouxemos ano passado, porque queríamos que ele fosse parte dessa jornada. Espero que no fim dessa jornada a gente o dê um carro bom a ponto de mostrar seu verdadeiro potencial”, destacou.
 
Os planos da Williams, todavia, dependem dos da Mercedes. Foi a marca alemã que topou ceder George, em busca de experiência na Fórmula 1. O britânico ainda não é sequer cogitado na briga pelo segundo carro prateado, que hoje tem Valtteri Bottas e Esteban Ocon como protagonistas. Mesmo assim, o jovem britânico já disse que estaria pronto caso fosse chamado para defender a atual campeã mundial.
 
Mesmo sofrendo com um carro pouco competitivo, Russell causa boa impressão em 2019. O britânico terminou nove das primeiras dez corridas na frente de Robert Kubica. O melhor resultado foi o 14º lugar no GP da Inglaterra.
 

 
Paddockast #25
Bênçãos e Maldições da Fórmula E


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.