Williams planeja fase de transição em 2017 e confirma chegada de ex-diretor-esportivo da McLaren

O atual diretor-esportivo da Williams, Steve Nielsen, pediu para viajar menos e foi atendido: ele começa o ano no cargo, mas vai entregá-lo para o ex-diretor-esportivo da McLaren, Dave Redding, que irá assumir para valer no final do ano

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

A Williams segue seu trabalho de mudanças dentro do corpo técnico para o trabalho nesta nova fase da F1. Nesta quarta-feira (8), a equipe de Grove revelou via comunicado oficial que Dave Redding vai assumir o cargo de diretor-esportivo no final da temporada 2017, assumindo o lugar de Steve Nielsen.

 

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
A passagem de bastão, no entanto, não irá acontecer de uma hora para outra. Pelo contrário: Nielsen começa o ano como o diretor-esportivo e ganha a companhia de Redding em algum momento mais para frente – que não foi perfeitamente esclarecido pela Williams. A ideia é que os dois trabalhem numa transição para 2018, quando Nielsen sai de cena deste cargo – seu futuro também não foi desvendado.

 
Segundo Claire Williams falou no comunicado, a mudança parte de um pedido do próprio Nielsen. Steve, de acordo com Claire, pediu para deixar o cargo por não querer mais fazer tantas viagens. Nielsen chegou à Williams em 2014, após deixar a Toro Rosso, e foi o responsável pelo desenvolvimento dos procedimentos de pit-stop após a equipe passar por apuros nos últimos anos – acabou se tornando o time com as mais rápidas paradas da F1 em 2016.
 
"Desde o começo, nosso diretor-esportivo, Steve Nielsen, tem sido claro sobre o seu desejo de viajar menos depois do final da temporada 2017, e entendemos totalmente. Respeitamos seu pedido visto que ele tem estado, nos últimos 30 anos, em papéis que o obrigam a viajar", disse a chefe-adjunta.
Dave Redding à direita de Éric Boullier: foram 17 anos de McLaren (Foto: Reprodução/Twitter)
"Steve fez um trabalho fantástico desde que chegou ao time, em 2014, partindo da reestruturação da equipe até o trabalho brilhante em guiar a guinada de nossa performance de pit-stop. Confirmamos que Dave Redding se juntará à Williams como diretor no final deste ano para trabalhar ao lado de Steve e garantir uma sucessão suave para tomar total responsabilidade em 2018", encerrou.
 
O anúncio chega pouco menos de 24 após a confirmação de que Redding estava deixando a McLaren, onde passou os últimos 17 anos e exercia a mesma função de gerente-esportivo.

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)<0?n+="px":n,cc.style.display="",s2.width=n,window.frameElement&&(s1.height=c2.offsetHeight+5+"px"),t=500,s1.width="100%"}rs(t)},200)}var c1=window.frameElement?window.frameElement:document.getElementById("crt_ftr"),c2=document.getElementById("crt_ftr"),s1=c1.style;s1.position="fixed",s1.bottom="-4px",s1.left="0px",window.frameElement&&(s1.height="0"),c2.style.textAlign="center",s1.zIndex="60000";var cc=document.getElementById("crt_cls"),s2=cc.parentNode.style;cc.onclick=function(){s1.display="none"};var t=0;rs(0);

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth < 970) ? 302357 : 302359;
document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube