Williams reduz lista e considera apenas Kubica, Massa e Di Resta como candidatos a segunda vaga para 2018, diz site

De acordo com informações do site da revista inglesa ‘Autosport’, a Williams agora trabalha com três nomes para o segundo carro em 2018. Com Lance Stroll garantido, a equipe inglesa estuda a possibilidade de viabilizar o retorno de Robert Kubica à F1, mas não descarta manter Felipe Massa ou promover Paul di Resta

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }



google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

A Williams reduziu a lista de candidatos para a vaga ao lado de Lance Stroll na temporada 2018 da F1. Agora são três os nomes que a equipe inglesa avalia: Felipe Massa, Robert Kubica e Paul di Resta. A informação é do site da revista britânica 'Autosport' neste sábado (23).

 
A esquadra de Grove se tornou o cockpit mais cobiçado entre os lugares que ainda restam no grid para o próximo ano. De acordo com a publicação, ao longo das últimas semanas, o time foi sondado por diversos pilotos e também sondou outros nomes. Porém, neste momento, a chefia da Williams está concentrada apenas nestas três opções. E não tem pressa.
 
Durante o último fim de semana, em Singapura, onde a F1 realizou sua 14ª etapa, o nome de Kubica ganhou força na briga por um lugar na equipe britânica. Entende-se que o polonês está preparado para um teste com um carro de 2014 da Williams nas próximas semanas, como forma de avaliar se seu retorno é viável. Robert está afastado da F1 desde o grave acidente que sofreu em 2011, enquanto disputava uma prova de rali. Desde então, Kubica iniciou uma intensa recuperação, chegou a guiar no Mundial de Rali, mas agora está decidido a voltar à maior das categorias.
Robert Kubica aparece com chances na Williams (Foto: Renault)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Neste ano, a Renault foi a responsável por conduzir testes com o polonês, que guiou um carro da atual temporada durante as atividades extras da F1 após o fim de semana do GP da Hungria. A equipe francesa estava interessada nos serviços do piloto de 32 anos para o próximo ano, mas o cenário mudou quando a McLaren decidiu encerrar seu acordo com a Honda e assinar com os gauleses, que aí resolveram trazer Carlos Sainz no pacote. 

 
Ainda segundo a 'Autosport', agora a Williams assumiu a avaliação de Kubica e tem tempo e carro disponível para testar o potencial do polonês, cuja principal preocupação diz respeito às condições físicas, dadas as lesões que ainda sustenta em decorrência do acidente. 
 
Já Massa também continua na disputa pela vaga. A equipe inglesa segue grata pela atitude de Felipe em voltar da aposentadoria, depois que a Mercedes decidiu contratar de última hora Valtteri Bottas.
 
Di Resta, por sua vez, vem trabalhando por fora para promover um retorno definitivo ao grid. O escocês de 31 anos, hoje comentarista de TV e reserva da Williams, foi chamado para substituir Massa em Hungaroring, depois que o brasileiro se sentiu mal e teve de deixar o fim de semana.
Paul di Resta é outro nome na lista da Williams para 2018 (Foto: Williams)
Neste momento, a Williams não tem pressa para tomar uma decisão final, pois está em uma posição privilegiada, já que as vagas restantes – leia-se Sauber – não são tão atraentes. Também de acordo com a publicação, Fernando Alonso também chegou a ser sondado, mas entende-se que o espanhol vai mesmo renovar com a McLaren. 
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A Williams ainda tentou Sergio Pérez, que recentemente firmou novo vínculo com a Force India. Acredita-se que o mexicano tenha rejeitado a oferta por considerar a equipe de Grove um alto risco, já que entende que a temporada 2018 será crucial para tentar uma vaga em uma esquadra de ponta para o ano seguinte. 
 
Por fim, embora Marcus Ericsson e Jolyon Palmer também estejam interessados na Williams, a opção por qualquer um deles é altamente improvável, assim como as chances de Pascal Wehrlein. A idade é o maior problema do jovem alemão, por conta do acordo de patrocínio da Martini, que exige pilotos acima de 25 anos.
BUEMI PERDEU PARA SI MESMO. E DI GRASSI FEZ POR MERECER TÍTULO DA F-E

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube