carregando
F1

Wolff define Schumacher como “pai fundador” do sucesso da Mercedes na F1: “Contribuição tremenda”

Michael Schumacher não teve grandes resultados pela Mercedes, mas foi importante para a fase de domínio da F1 que dura desde 2014. Quem diz isso é Toto Wolff, chefe da equipe, que celebra o aniversário de 50 anos do heptacampeão

Warm Up / Redação GP, de Berlim
No aniversário de 50 anos, Michael Schumacher foi homenageado por Toto Wolff, chefe da Mercedes na Fórmula 1. O dirigente recordou a passagem do alemão pela equipe prateada entre 2010 e 2012, contribuição definida como fundamental para a sequência de vitórias e títulos na categoria a partir de 2014.
 
Schumacher, então companheiro de Nico Rosberg nos primeiros anos do retorno da Mercedes, trouxe a experiência de um piloto que competiu na F1 desde 1991, conquistando sete títulos no processo. Apesar da importância apontada por Wolff, Michael teve dificuldades em Brackley, conquistando um único pódio em três temporadas.
 
“Michael é um dos pais fundadores do sucesso que tivemos nos últimos cinco anos, não há nenhum outro piloto como ele”, disse Wolff. “Sua experiência foi uma contribuição tremenda para o desenvolvimento da equipe. O papel que ele cumpriu quando voltou à F1 foi crucial e serviu como base para o sucesso do futuro. Estamos extremamente gratos por tudo que ele fez por nós”, continuou.
Toto Wolff só tem coisas boas para falar sobre Michael Schumacher (Foto: Twitter)
Apesar das belas palavras, Wolff e Schumacher nunca trabalharam juntos. Michael voltou a se aposentar ao fim de 2012, enquanto Toto só assumiria a chefia da Mercedes no começo de 2013. Mesmo assim, a dupla teve bom relacionamento.
 
“Nós jogamos gamão e ele acabou comigo nas duas primeiras rodadas porque eu estava perplexo. Nós acabamos jogando e conversando durante o voo inteiro. Tivemos uma conversa muito boa e franca. Quando aterrissamos, fiquei com a sensação de que o conhecia há muito mais tempo”, recordou.
 
Schumacher, apesar de parte do processo de reconstrução da Mercedes, não pôde acompanhar de perto os anos de domínio. O alemão sofreu um grave acidente de esqui ao fim de 2013. Desde então, o estado de saúde do heptacampeão virou um mistério: aparições públicas nunca aconteceram e comunicados viraram raridade.