Zanardi vê ‘raça’ da Ferrari para voltar ao topo, mas avalia: “Bravura normalmente é sinônimo de mediocridade na F1”

Alessandro Zanardi é um dos personagens mais fantásticos do esporte a motor, sobre isso não há qualquer discussão. E suas opiniões são também bastante interessantes. Segundo Zanardi, a Ferrari precisa de continuidade. E a bravura em si não é exatamente bom na F1

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

A todo momento a imprensa italiana quer saber dos expoentes do automobilismo italiano o que pensam da Ferrari. E neste momento de dúvidas quanto ao que vai acontecer na F1 das novas regras, Alessandro Zanardi foi perguntado sobre as possibilidades da escuderia de Maranello. Segundo o campeão da Indy e multicampeão paraolímpico, a Ferrari precisa de continuidade para competir com Mercedes e Red Bull.

 

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
Zanardi avaliou que a Ferrari, com muita raça, quer mesmo se recuperar do desapontamento que foi 2016. O problema é que, ainda de acordo com o italiano, na F1 a raça muitas vezes significa que o trabalho não está bom o bastante. 

 
"Não tenho dúvida que os homens em Maranello estão extremamente focados em se redimir depois de uma temporada que certamente desapontou do ponto de vista de grandes expectativas geradas pela Ferrari", disse em entrevista ao jornal italiano 'Corriere dello Sport'. "O problema é que a bravura é normalmente sinônimo de mediocridade na F1. Vencer significa ser excepcional em comparação aos seus competidores em todos os aspectos", seguiu. 
Zanardi não é muito de medir o que diz (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
Para Alex, as mudanças não favorecem a Ferrari da forma como os italianos gostariam. Pela continuidade do projeto em curso, Mercedes e Red Bull ainda aparecem na frente do time do Cavallino Rampante.
 
"Do ponto de vista organizacional, os líderes no momento são a Mercedes e a Red Bull, enquanto isso houve várias revoluções internas na Ferrari", lembrou. "O talento por lá é abundante, mas sem tempo para trabalhar juntos é possível que ainda não seja o bastante para a Ferrari", encerrou. 
 

PADDOCK GP #66 RECEBE LUCAS DI GRASSI, DEBATE F-E E NOVOS CARROS DA F1

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)<0?n+="px":n,cc.style.display="",s2.width=n,window.frameElement&&(s1.height=c2.offsetHeight+5+"px"),t=500,s1.width="100%"}rs(t)},200)}var c1=window.frameElement?window.frameElement:document.getElementById("crt_ftr"),c2=document.getElementById("crt_ftr"),s1=c1.style;s1.position="fixed",s1.bottom="-4px",s1.left="0px",window.frameElement&&(s1.height="0"),c2.style.textAlign="center",s1.zIndex="60000";var cc=document.getElementById("crt_cls"),s2=cc.parentNode.style;cc.onclick=function(){s1.display="none"};var t=0;rs(0);

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth < 970) ? 302357 : 302359;
document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube