Coluna Safety-car, por Felipe Giacomelli: Fim de semana decisivo para Felipe Nasr

Segundo colocado na tabela de pontos da GP2, o brasileiro sabe que a etapa do Principado não é a mais importante nas pretensões de título. Pelo contrário, é lá onde ele pode ter o pior resultado do ano

Nunca gosto de textos que começam dizendo que determinado piloto terá uma corrida decisiva ou que certa equipe tem uma partida crucial. Geralmente, eles só servem para promover algum evento e pouco têm de informativo, pois não se trata realmente de uma decisão. São poucas as vezes que realmente falam de uma partida final ou de uma corrida em que é preciso vencer para continuar com chances matemáticas de ser campeão.

Mas para quem gosta de usar esse chavão, é possível dizer que Felipe Nasr tem uma corrida decisiva neste fim de semana em Mônaco. Segundo colocado na tabela de pontos da GP2, o brasileiro sabe que a etapa do Principado não é a mais importante nas pretensões de título. Pelo contrário, é lá onde ele pode ter o pior resultado do ano.

A etapa de Mônaco é o calcanhar de Aquiles de Felipe Nasr na GP2 (Foto: Alastair Staley/ GP2)

Pelo que mostrou até agora, o brasiliense vem apostando em uma tática de economia de pneus para conseguir ultrapassar os adversários – com compostos já desgastados – no fim das corridas. O problema é que em Mônaco a borracha não se degrada excessivamente. Ou seja, mesmo que Nasr mantenha os pneus intactos no final da prova, ele não terá um desempenho tão melhor que os dos rivais.

Para piorar, a corrida de Monte Carlo também é conhecida pelas raras ultrapassagens. Então, mesmo com o carro mais equilibrado, a tendência é que o piloto da Carlin pene para passar os adversários. Só que todas essas dificuldades não são novidade para Nasr. Quando o brasileiro fez o planejamento para o ano, já tinha Mônaco como uma prova em que pode perder pontos preciosos no campeonato. É que, embora todos os pilotos falem em vencer todas as corridas, eles sabem que precisam deixar um espaço para circuitos ruins, acidentes e problemas mecânicos.

E é prudente deixar Monte Carlo como essa exceção. Além da falta de pontos de ultrapassagem, Nasr ainda pode se envolver em algum acidente, já que vai largar no meio do pelotão no apertado circuito de rua. Também não ajuda o fato de o brasiliense largar muito mal quando comparado aos demais rivais da categoria. Assim, partindo da nona colocação, existe sempre a chance de ele ser ensanduichado na primeira curva.

Por outro lado, a nona colocação no grid também não é tão ruim quanto parece. Pelo contrário. Pode até ser um trunfo de Nasr na luta pelo título. Se conseguir ganhar uma única posição na prova desta sexta – que você já deve saber o resultado –, então ele sairá da pole-position no sábado, na corrida curta, quando terá pista limpa (e todas as vantagens como menos tráfego e ar limpo) pela frente.

Para um fim de semana que é considerado o calcanhar de Aquiles do brasileiro em 2013, a possibilidade de vitória não seria um resultado nada ruim.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube