Indicado por Hamilton como sucessor, Russell sobe para a F2 e se mantém na ART após título da GP3

George Russell é uma das revelações do automobilismo mundial. Campeão da GP3 em 2017, o britânico sonhava com a F1 já em 2018, mas vai se contentar em disputar a F2 com a ART, mesma equipe que o levou ao título em sua antiga categoria

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Campeão da GP3 em 2017, não será em 2018 que George Russell estará na F1, como declarou ser seu objetivo no final do último ano. Mas, nesta quinta-feira (18), o piloto britânico deu o próximo passo na continuidade desse sonho: acertou sua presença na F2 desta temporada.

Aos 19 anos (completa 20 em fevereiro próximo), Russell correrá pela mesma ART com a qual conquistou o título da GP3. Além disso, terá o mesmo parceiro: Jack Aitken, que foi vice da categoria. 

"Estou muito feliz em poder correr na F2. Eu e a ART tivemos muito sucesso na última temporada então faz sentido que continuemos juntos.Será desafiador, mas tenho confiança que poderemos ser competitivos", declarou o britânico.

George Russell (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

Russell, aliás, é considerado por Lewis Hamilton seu sucessor na F1 – e, consequentemente, na idolatria de seu país. No final de 2017, ao comentar sobre sua futura aposentadoria, abriu a janela para o compatriota, que é pupilo da Mercedes.

"Quem sabe? Talvez em 2021 eu dê lugar ao George [Russell]. Ele vai estar lá antes disso, de qualquer forma. Mas, no momento, vou seguir em frente", comentou.

Desta forma, os britânicos terão ao menos dois nomes fortes para torcer na F2 em 2018: além de Russell, Lando Norris estreará na categoria pela Carlin. Em 2017, ele foi campeão da F3 europeia e confirmado como piloto reserva da McLaren.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube