Hadjar segura Bortoleto e vence corrida 2 da F2 na Emília-Romanha. Fittipaldi é 17º

Isack Hadjar teve fôlego para resistir ao ataque de Gabriel Bortoleto na última volta e venceu mais uma na Fórmula 2 2024, agora em Ímola, neste domingo (19)

Isack Hadjar venceu mais uma na temporada 2024 da Fórmula 2. O francês neutralizou ataque de Gabriel Bortoleto na última volta da corrida principal da rodada da Emília-Romanha, em Ímola, e cruzou a linha de chegada em primeiro neste domingo (19).

Bortoleto buscou recuperação depois da má largada logo após a rodada de pit-stops. O brasileiro esteve no grupo dos que largaram com os macios, portanto fez a parada logo no início e precisou de calma para tirar a diferença construída por Hadjar no melhor momento de desempenho da borracha.

A decisão ficou para as três voltas finais, com Gabriel enfim entrando na zona de detecção da asa móvel, mas Isack teve fôlego para responder e abrir o último giro com 0s7 de vantagem. Ainda assim, Bortoleto colou na saída da Tamburello, tentou de todas as formas, porém faltou volta para buscar a vitória, terminando em segundo.

Joshua Dürksen, em ótima largada, conquistou o primeiro pódio na carreira na categoria. Andrea Kimi Antonelli garantiu os pontos da Prema com a quarta posição após pit-stop que destruiu a corrida do companheiro, Oliver Bearman, quando vinha na liderança.

Bortoleto ficou em segundo em Ímola (Foto: Dutch Photo Ageny)

Franco Colapinto, o vencedor da sprint, foi o quinto, com Paul Aron e Jak Crawford na sequência. Juan Manuel Correa e Victor Martins entraram na zona de pontos graças à aposta no primeiro stint com os médios. Richard Verschoor fechou o top-10.

Líder do campeonato, Zane Maloney teve mais problemas que o normal e ficou em 11º, enquanto Enzo Fittipaldi foi o 17º.

A Fórmula 2 volta no próximo final de semana, de 23 a 26 de maio, para a rodada de Mônaco. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades da temporada 2024.

:seta_para_frente: Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
:seta_para_frente:Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Confira como foi a corrida 2 da F2 em Ímola:

Depois de um sábado marcado pela bela ultrapassagem de Colapinto sobre Aron que valeu a vitória na última volta, os pilotos retornaram à ação para a corrida principal da rodada com 20,4°C de temperatura ambiente e asfalto em 29,4°C. Na pole-position, Bortoleto tentaria o primeiro triunfo na temporada, mas teria um desafio e tanto com Bearman e Hadjar logo atrás. Fititpaldi, por sua vez, era o 11º do grid.

Nas escolhas de pneus, os primeiros colocados apostaram, como de costume, na gama mais macia, enquanto quem ficou mais atrás já foi com os médios para o primeiro trecho. A F3, no entanto, mostrou que o desgaste seria um fator na corrida.

Após a volta de apresentação, os carros tomaram as respectivas posições nos colchetes. Luzes apagadas, e Bortoleto tracionou mal, perdendo posição para Bearman, Hadjar e Dürksen — este último, em belo salto do quinto para o terceiro posto.

O brasileiro posicionou-se à frente de Antonelli, enquanto Fittipaldi também não conseguiu avançar logo na partida e fechou o giro 1 em 12º. Pouco mais atrás, boa largada também para Verschoor, que ganhou quatro posições ficando a um posto da zona de pontuação.

O pit-stop desastroso de Oliver Bearman em Ímola (Vídeo: reprodução/F1 TV)

Com quatro voltas completadas, Hadjar fazia o melhor tempo e já ficava a 0s3 de Bearman, além de colocar mais de 1s para Dürksen, podendo estudar o melhor momento para buscar a ultrapassagem que valeria a liderança.

Enquanto a direção de prova colocava Dennis Hauger sob investigação após escapar da pista e voltar de forma perigosa para cima de Ritomo Miyata, Bortoleto, começava o processo de recuperação, já colocando-se a menos de 1s de distância para o piloto da AIX à sua frente. A vantagem para Antonelli era de 1s7, com o italiano da Prema tendo de se preocupar com a aproximação do líder, Maloney.

A janela de pit-stops abriu na volta 6, e logo Dürksen foi aos boxes. Hadjar também optou por entrar cedo, só que, pouco a pouco, todos que escolheram os macios partiram para a troca de pneus. E foi aí que a corrida de Bearman foi para o espaço após o carro simplesmente apagar nos pits. O britânico perdeu muito tempo, retornando à pista apenas em 21º.

Assim que a primeira janela de paradas foi completada, Amaury Cordeel era quem aparecia na liderança, seguido de Josep María Martí, Correa, Martins, Kush Maini e Rafael Villagómez — todos de compostos médios. Hadjar era o sétimo colocado, porém o primeiro da fila já com os pneus para, teoricamente, ir até o final. E Bortoleto vinha logo em seguida.

Nas voltas 13 e 14, Gabriel cravou os melhores giros da prova, fazendo a distância para Hadjar baixar de 2s depois de chegar a quase 3s. Enquanto isso, Maloney, em 14º, crescia no retrovisor de Roman Stanek, porém com Crawford também na cola. Pelo rádio, a Trident elogiava o trabalho do tcheco: “Eles só podem te passar na reta, vão destruir os pneus”.

De fato, Stanek criou um pelotão de cinco carros na briga pelo 13º posto. Crawford reclamou da falta de ação do barbadiano para cima do piloto da Trident, já preocupado com a aproximação de Verschoor. O americano, então, resolveu ele mesmo caçar Stanek e efetuou bela ultrapassagem sobre Maloney.

Volta 22, e o top-6 formado por Cordeel, Martí, Correa, Martins, Maini e Villagómez seguia firme sem parada. Hadjar, em sétimo, tinha mais de 10s de desvantagem para o carro da Van Amersfoort, mas mantinha Bortoleto a mais de 1s atrás, impedindo ao piloto da Invicta o uso da asa móvel.

O pit-stop todo atrapalhado de Hitech e Campos (Vídeo: reprodução/X)

Na volta 25, Crawford conseguiu se livrar de Stanek e deixou o problema para os demais. Nesse momento, a direção de prova passou a mostrar o comparativo de voltas entre Cordeel, em primeiro, mas ainda tendo de parar, e Dürksen, o virtual terceiro colocado. A distância era de 36s3, sendo que o belga teria macios para os giros finais e embolaria a disputa pelo pódio.

Na volta 30, enfim Cordeel recebeu o chamado para os boxes, e foi a deixa para Martins e Martí também entrarem. Só que a Hitech, na pressa, devolveu Amaury com a roda traseira direita frouxa. Bastou a arrancada para o composto saltar e quase acertar quem estivesse pela frente. De quebra, ainda atrapalhou a Campos, que se embananou na troca de Martí e cometeu o mesmo erro, só que com o traseiro esquerdo. Os dois abandonaram.

Posições restabelecidas, Hadjar viu Bortoleto ficar a menos de 1s a três voltas do fim, e por pouco não perdeu a vitória. Faltou, no entanto, mais alguns giros para Gabriel encaixar a manobra, porém o segundo lugar colocou o representante da Invicta no top-5 da classificação, enquanto Hadjar é quem aparece agora em terceiro.

Fórmula 2 2024, rodada da Emília-Romanha, Ímola, corrida 2:

1I HADJARCampos35 voltas 
2G BORTOLETOInvicta+0.569 
3J DÜRKSENPHM+13.376 
4A K ANTONELLIPrema+18.034 
5F COLAPINTOMP+18.489 
6P ARONHitech+18.815 
7J CRAWFORDDAMS+20.737 
8J M CORREADAMS+21.240 
9V MARTINSART+28.364 
10R VERSCHOORTrident+33.507 
11Z MALONEYRodin+34.107 
12D HAUGERMP+34.346 
13Z O’SULLIVANART+37.657 
14K MAINIInvicta+37.957 
15R MIYATARodin+38.402 
16R VILLAGÓMEZVan Amersfoort+42.357 
17E FITTIPALDIVan Amersfoort+43.055 
18R STANEKTrident+43.575 
19O BEARMANPrema+44.017 
20T BARNARDPHM+44.786 
 A CORDEELHitechNC 
 J M MARTÍCamposNC 
Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 2 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.