Lynn e Gasly dão show e fazem primeira dobradinha da Dams na temporada da GP2 na prova inicial na Hungria

O futuro do automobilismo francês não tem do que reclamar. Alex Lynn e Pierre Gasly mostraram exatamente o motivo na primeira prova da GP2 na Hungria. Um show de ambos, de controle e ultrapassagens, para reafirmarem que são dois dos maiores talentos das categorias de acesso à F1

O automobilismo francês tem todos os motivos para sorrir com o futuro. Alex Lynn e Pierre Gasly mostraram exatamente o porquê na primeira prova da GP2 na Hungria, neste sábado (25), em Hungaroring. Os dois controlaram a prova por completo enquanto deu e depois da parada nos boxes, quando ficaram atrás de um batalhão de gente, foram passando um a um até recuperarem as posições um e dois, respectivamente, e darem a primeira dobradinha do ano à Dams.

Os dois tomaram controle da prova logo de cara, mas Lynn claramente na frente e Gasly comboiando. Como os líderes demoraram a parar para troca de pneus quando o pessoal atrás do top-9 fez ainda nas primeiras voltas, os ponteiros tiveram de lidar com perder várias posições quando, enfim, pararam, a 13 e 12 voltas do fim, respectivamente. 
 
Mas não teve tempo ruim. Sem tomar conhecimento, Lynn – e Gasly seguindo o mesmo caminho – foi passando por Arthur Pic, Alexander Rossi, Sergey Sirotkin, Rio Haryanto e Stoffel Vandoorne. E fim de papo. A dobradinha prometida aconteceu, ainda que com contornos dramáticos.
Alex Lynn (Foto: GP2 Media)

Confira como foi a corrida:

A corrida começou mal para Sean Gelael, estreando na Carlin, que sequer conseguiu sair para a volta de apresentação e teve de ir partir dos boxes.
 
Na largada, de fato, Alex Lynn deu o gás e se afastou, enquanto no meio do pelotão frontal uma confusão enquanto Sergey Sirotkin sai da nona para a sexta colocação, e Alexander Rossi acabou ficando sem espaço na pista.
 
Mas o primeiro grande momento da corrida viria na segunda volta, quando Raffaele Marciello atacou bem duas freadas seguidas para operar uma bela ultrapassagem em Arthur Pic.
 
Logo em seguida, a primeira bandeira amarela, quando Nicholas Latifi e Sergio Canamasas se tocaram, a suspensão do espanhol se quebrou e ele foi frontalmente à proteção da chicane. Nenhum grande problema, mas corrida em amarela.
 
Não demorou mais que cinco voltas para que as paradas nos boxes começassem a esquentar, e na sétima volta, enquanto Julian Leal entrava para sua parada, a Art liberou Stoffel Vandoorne de forma mais que insegura. Logo em seguida, uma punição de 5s adicionados ao tempo final da corrida foi dado ao belga. E ficou barato…
Falando de coisa boa que não é máquina fotográfica de um zilhão de pixels, Norman Nato roubou a nona colocação de Artem Markelov na mão grande com uma passada por fora espetacular na 15ª volta. Em seguida, mais atrás, André Negrão tentou deixar Latifi para trás na freada. Até foi, mas tomou o xis.
 
Na liderança, Lynn tinha uma vantagem de 1s8 para o companheiro Pierre Gasly como 18 das 37 voltas acontecidas. Pelo ritmo dos dois, a indicativa era de que uma vitória com dobradinha da DAMS se aproximava rapidamente.
 
E Lynn até abria mais, só que os nove primeiros colocados ainda não tinham ido aos boxes trocar os pneus médios. Se havia uma chance de embolar a prova, seria a janela dos líderes. O líder abriu, na 24. Nobuharu Matsushita foi junto. Mas logo ficou claro que o negócio custara caro para Lynn. O francês voltou atrás de Vandoorne, Pic e Rossi, todos já com paradas.
 
Se correr atrás do prejuízo era necessário, Lynn demorou uma volta para passar por Pic, ainda na 26, e encostar em Rossi. Na reta dos boxes, passou também.
 
De repente, com todos devidamente de pneus trocados, Vandoorne, longe em toda a prova, era o líder, seguido por Rio Haryanto e Lynn, 12s atrás. Contando a punição de 5s, Lynn precisa deixar o indonésio e mais 7s para trás, o que era difícil para ser feito em dez voltas apesar dos pneus bem mais novos.
Só que três voltas depois, Lynn estava a 3s9 de Vandoorne. Então, o que o separava da vitória era Haryanto. Na caça, Alex escapou da pista, mas sem maior crise.
 
Rapidamente, não tinha mais. Sem qualquer problema, Lynn passou como quis por Haryanto e foi atacar Vandoorne – mesmo que já tivesse a liderança por conta da punição do belga.
 
Foi mais uma vez questão de esperar a reta dos boxes, e na volta 33 Lynn finalizou a atuação inacreditável em Hungaroring e tomou a ponta do líder do campeonato. 
 
O companheiro da DAMS, Gasly, também veio seguindo exatamente o mesmo caminho de Lynn. Enquanto Haryanto e Vandoorne tinham uma briga dos sem pneu pela segunda posição na pista, o francês se aproximava. Na penúltima volta, o inevitável aconteceu, com Gasly passando Rio.

O top-10 terminou com Lynn, Gasly, Sirotkin, Haryanto, Vandoorne, Jordan King, Marciello, Matsushita, Roberto Visoiu e Daniël de Jong.
 
No campeonato, Vandoorne continua muito à frente, com 180 pontos. Rossi e Haryanto têm 105 e 103, enquanto Sirotkin, Lynn e Gasly fecham o top-6 do campeonato com 93, 85 e 60 pontos, respectivamente.

GP2, Classificação, Corrida 1 na Hungria:

1 ALEX LYNN ING DAMS 1:00:10.078 37 voltas
2 PIERRE GASLY FRA DAMS +3.707  
3 SERGEY SIROTKIN RUS RAPAX +9.052  
4 RIO HARYANTO INA CAMPOS +9.639  
5 STOFFEL VANDOORNE BEL ART +11.621  
6 JORDAN KING ING RACING ENGINEERING +12.862  
7 RAFFAELE MARCIELLO ITA TRIDENT +16.220  
8 NOBUHARA MATSUSHITA JAP ART +16.785  
9 ROBERT VIȘOIU ROM RAPAX +17.460  
10 DANIËL DE JONG HOL MP +34.138  
11 NORMAN NATO AUT ARDEN +36.874  
12 ALEXANDER ROSSI EUA RACING ENGINEERING +42.242  
13 ARTHUR PIC FRA CAMPOS +43.345  
14 NATHANAËL BERTHON FRA LAZARUS +46.408  
15 NICHOLAS LATIFI CAN MP +51.732  
16 JULIÁN LEAL COL CARLIN +52.010  
17 MITCH EVANS NZL RUSSIAN TIME +56.245  
18 SEAN GELAEL MON CARLIN +57.251  
19 MARLON STÖCKINGER SUI STATUS +1:06.136  
20 ANDRÉ NEGRÃO BRA ARDEN +1:06.681  
21 RICHIE STANAWAY JAP STATUS +1 volta  
22 ARTEM MARKELOV RUS RUSSIAN TIME +1 volta  
23 RENÉ BINDER AUT TRIDENT +4 voltas  
24 NICK YELLOLY ING HILMER +6 voltas NC
25 SERGIO CANAMASAS ESP MP +36 voltas NC

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube