No retorno à GP2, Filippi vence corrida de sábado em Monza. Razia bate, abandona e perde liderança

Vice-campeão de 2011, Luca Filippi se mostrou acima do restante do grid da GP2 ao vencer a primeira prova que disputou na categoria em 2012. Na disputa pelo título, Luiz Razia bateu com Fabio Leimer e abandonou. Sexto colocado, Davide Valsecchi reassumiu a liderança do campeonato

Não é à toa que muita gente critique os pilotos que disputam a temporada de 2012 da GP2. Vice-campeão de 2011, Luca Filippi realizou, neste sábado (8), sua primeira prova do ano na categoria. E venceu.

Depois de largar em quarto, Filippi, que rivalizou com Romain Grosjean no ano passado, pulou para segundo na largada e apenas aguardou o momento certo para fazer a ultrapassagem sobre Max Chilton e disparar na liderança. Uma vitória maiúscula.

Filippi passou o primeiro semestre tentando levantar fundos para competir na Indy, mas não conseguiu uma vaga. Ele foi chamado de volta por Paolo Coloni para competir apenas nesta etapa de Monza, no lugar de Stefano Coletti, que trocou a Coloni pela Rapax. Vale lembrar que o time deixará a GP2 no fim do ano, então este pode ter sido seu último triunfo na classe que disputa desde 2005.

Luca Filippi estava fora da GP2 desde o ano passado (Foto: GP2)

Sem um bom rendimento, Chilton não conseguiu sequer se manter no pódio. O inglês foi ultrapassado por Johnny Cecotto Jr. e Marcus Ericsson, caindo para a quarta colocação. O venezuelano e o sueco completaram a corrida em segundo e terceiro, respectivamente.

O campeonato, após a 21ª de 24 corridas, tem novo líder. Ou melhor, líder velho, que volta a ocupar a primeira posição de maneira isolada. É Davide Valsecchi, sexto colocado na corrida deste sábado.

Luiz Razia largou em 12º, mas fez boa largada e estava próximo de Valsecchi na pista. A chance de um resultado satisfatório, porém, foi jogada no lixo depois de um toque com outro italiano, Fabio Leimer. Parado em cima da zebra, Razia viu sua prova acabar mais cedo do que gostaria e ficou em uma situação complicadíssima para a sequência do campeonato: neste domingo, o baiano vai largar em 25º, enquanto Valsecchi alinhará em terceiro no grid.

A pole-position para a corrida complementar da rodada dupla de Monza ficou nas mãos de Coletti, mais um italiano que pode obter um grande resultado neste fim de semana.

Dentre os demais brasileiros, Felipe Nasr também abandonou após um acidente – quase idêntico – com Leimer, e Victor Guerin foi o último dos que cruzaram a linha de chegada, na 23ª posição.

Confira como foi a primeira corrida da etapa de Monza da GP2:

A largada, embora confusa, não teve nenhum toque. Segundo colocado, Giedo van der Garde largou mal e perdeu várias posições. O pole, Max Chilton, também não foi muito bem e teve a dianteira ameaçada pelo quarto colocado, Luca Filippi.

O italiano, por fora, não conseguiu frear e cortou a Variante del Rettifilo. Ele chegou a ocupar o primeiro lugar, mas precisou abrir caminho para Chilton, evitando qualquer punição. A briga continuaria, e boa.

Cauteloso após partir do 12º lugar, Luiz Razia ganhou seis posições e encostou em seu rival na disputa pelo título, Davide Valsecchi, que disputava com Johnny Cecotto. Felipe Nasr também subiu na classificação da prova. Pouco depois, o brasiliense foi tocado por Fabio Onidi, mas não teve problemas por conta disso. O mesmo não pode ser dito do adversário, que danificou sua asa dianteira.

A rodada de pit-stops obrigatórios começou cedo, e com o próprio Razia, que antecipou sua entrada nos boxes para tentar dar o pulo do gato para cima de Cecotto. Aos poucos, a maior parte dos líderes parou para efetuar suas trocas de pneus – exceto o próprio Cecotto, que assumiu a liderança da prova, na qual se manteve até a 13ª passagem.

Mas tudo deu errado para o brasileiro quando os pilotos retornaram à pista. Disputando posição com Fabio Leimer, o piloto da Arden ficou por fora na Variante Della Roggia e tentou fechar a porta. O toque foi inevitável e o prejuízo para Razia, imensurável.

Ao tentar retornar para o traçado correto, seu carro ficou parado em cima da zebra. Não havia mais o que fazer e o piloto, que tanto se valeu da constância ao longo do ano, abandonou uma prova pelo segundo fim de semana consecutivo. Os comissários decidiram investigar o incidente depois da corrida.

Voltando a falar da briga entre Chilton e Filippi, o vice-campeão de 2011 voltou dos boxes colado no inglês, mas ainda sem conseguir a ultrapassagem. A manobra veio pouco depois, na Variante Ascari, por fora, que lhe deu a primeira posição entre os pilotos que não haviam feito seus pit-stops.

Filippi foi bem recepcionado em seu retorno à GP2 (Foto: GP2)

Lembram do Leimer? Lembram da Variante Della Roggia? Então, o italiano voltou a se chocar com um brasileiro no mesmo ponto. Desta vez, foi com Felipe Nasr, que tentava ultrapassá-lo por fora. O choque foi praticamente idêntico ao anterior. Nasr conseguiu retornar aos boxes, mas não à disputa. Mais um abandono.

Leimer ainda voltaria a interferir na disputa pelo campeonato. Incansável, ele iniciou uma batalha com Valsecchi pela quinta posição e viu o companheiro de Nasr na Dams evitar dividir a Variante Della Roggia com ele. Valsecchi passou reto e, ao voltar à pista, estava atrás de Leimer.

Terceiro colocado, Julián Leal parou nos boxes na 19ª volta. Nigel Melker e Stéphane Richelmi persistiam lá na frente, mas a vantagem que tinham para Filippi não lhes permitiria mais parar e voltar à frente.

A briga boa valia a segunda posição real, entre Chilton e Cecotto. O piloto da Carlin não apresentava mais um bom rendimento e passou a ser pressionado tanto pelo venezuelano quanto por Marcus Ericsson. A ultrapassagem de Cecotto foi feita com enorme facilidade. O sueco também conseguiria superá-lo.

Quem também deu show foi Jolyon Palmer, ao fazer uma amável manobra sobre Esteban Gutiérrez. Os dois saíram lado a lado da primeira variante e permaneceram assim até a segunda, quando Palmer consumou a ultrapassagem. Gutiérrez ainda perderia a oitava posição – e a pole para a corrida complementar – para Stefano Coletti.

Na volta 21, Melker deixou a primeira posição para, enfim, realizar sua troca de pneus. Um giro depois foi a vez de Richelmi, e Filippi, pela primeira vez na corrida, completou uma volta na primeira colocação. A primeira de algumas.

Não havia mais como Filippi, em condições normais, perder a vitória. Foram 4s de vantagem para Cecotto, que chegou 1s3 à frente de Ericsson. Chilton concluiu a prova em quarto, seguido por Leimer, Valsecchi, Palmer e Coletti. Gutiérrez e Leal completaram a zona de pontuação.

GP2, Itália, Monza, 1ª corrida:

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube