F2
06/08/2018 15:10

Norris dispara contra próprio desempenho em 2018 na F2: “Minha pior temporada”

Lando Norris vem se destacando por atitudes marcadas pela autenticidade, como rasgar elogios ao companheiro de equipe, no caso Sergio Sette Câmara, e também por reconhecer que faz uma temporada abaixo do esperado na F2, admitindo erros cometidos ao longo da campanha
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 Lando Norris (Foto: FIA F2)


Lando Norris começou sua primeira temporada como piloto da F2 como a grande sensação do campeonato. O pupilo da McLaren chegou à Carlin, que também trouxe Sergio Sette Câmara para 2018, como a grande esperança do automobilismo britânico e iniciou bem, correspondendo às expectativas com a vitória na etapa do Bahrein. No entanto, a performance irregular na sequência do campeonato e a grande ascensão do compatriota e rival George Russell, que já tem quatro vitórias no ano, o faz refletir sobre seus próprios erros.
 
A análise de Norris sobre seu próprio desempenho é bastante crítica. O jovem de 18 anos reconheceu, em entrevista à revista britânica ‘Autosport’, que está devendo.
 
“Acho que foi minha pior temporada. Não importa a minha segunda posição no campeonato. Acho que, pela quantidade de erros que cometi, os problemas que sofri e tudo o que foi, foi de longe a pior”, disparou.
Mesmo sendo vice-líder da F2, Norris entende que está devendo (Foto: F2)
“Neste ano achei que seria o contrário disso, sei que posso fazer melhor e por isso estou chateado. De fato, posso fazer muito melhor”, salientou o piloto, que no ano passado foi o campeão da F3 Europeia e faturou nada menos que três títulos em 2016: F-Renault Europeia, F-Renault Norte-Europeia e o Toyota Racing Series, tradicional certame de início de ano na Nova Zelândia.
 
Na temporada 2018 da F2, Norris soma 159 pontos e ocupa a vice-liderança, tendo 12 de atraso para Russell. Alexander Albon também ameaça Lando e aparece em terceiro, com 141.
 
No fim de maio, Norris surpreendeu ao elogiar seu companheiro de equipe na Carlin, Sette Câmara, e se mostrou profundamente chateado com a lesão que o brasileiro havia sofrido no treino classificatório em Mônaco, fato que levou o piloto a perder toda a rodada dupla no Principado. E defendeu o mineiro. “Ele ajudou a mim e a equipe a melhorar além do nível que nós estamos”.