F2
07/08/2018 10:00

Sette Câmara avalia 2018 como de altos e baixos na F2 e rejeita teoria da conspiração na Carlin

Em participação ao vivo no Facebook do canal do GRANDE PRÊMIO na noite da última segunda-feira, Sérgio Sette Câmara fez um balanço do que foi sua temporada até agora, abriu o coração a respeito de vários aspectos da carreira de piloto e reforçou os planos para 2018 e além
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 Sergio Sette Câmara (Foto: Zak Mauger/FIA Formula 2)


Com apenas 20 anos, completados em maio deste ano, Sérgio Sette Câmara mostra a cada dia uma maturidade ímpar. O piloto, nascido em Belo Horizonte, a cada dia se firma como um dos grandes talentos da nova geração do automobilismo brasileiro e é o único piloto do país no grid da F2, o último degrau antes do Mundial de F1. Na noite da última segunda-feira (5), Sette Câmara falou ao vivo ao canal do GRANDE PRÊMIO no Facebook e abriu o coração a respeito de vários aspectos da temporada da F2 e da sua carreira nas pistas como um todo.
 
O piloto da Carlin destacou, por exemplo, o relacionamento com o companheiro de equipe Lando Norris e apontou quem considera na lista dos melhores pilotos do grid da F2. Sérgio contou um pouco da sua rotina como piloto, os trabalhos no simulador e também como é fazer parte da equipe britânica, deixando claro que não vê Norris sendo favorecido dentro do time.

Sette Câmara recordou também o acidente sofrido em Mônaco e as consequências daquela batida, além de falar sobre as suas metas para a sequência da temporada: chegar ao menos em terceiro lugar para buscar a superlicença que lhe dá a chance de ser piloto da F1 no futuro. 
 
No momento, Sérgio ocupa a sétima colocação no campeonato e soma 106 pontos com cinco pódios. Restam oito corridas para o fim da temporada 2018 da principal categoria de acesso à F1.