Após treino na GP3, Guimarães afirma que não há nada fechado para retorno à Europa em 2013

O piloto brasileiro afirmou que negocia com a equipe Bamboo, pela qual treinou, mas também avalia outras equipes da categoria. Apesar disso, nem mesmo correr na GP3 em 2013 ainda está garantido

O Brasil voltou a ter um representante na GP3 nos treinos realizados nesta semana em Silverstone. Felipe Guimarães, que já havia disputado a temporada de abertura do certame, em 2010, foi chamado para testar pela novata equipe Bamboo de olho em uma das vagas no grid. Embora tenha deixado o time britânico satisfeito, o piloto negou que esteja garantido na abertura da temporada, no início de maio, em Barcelona.

Em entrevista exclusiva ao Grande Prêmio, o piloto da Hitech na F3 Sul-americana disse que ainda está estudando as opções sobre uma possível volta à Europa em 2013. “Não há nada fechado ainda. Estamos analisando se vamos correr com a Bamboo ou com outra equipe e se vamos fechar com a GP3”, declarou.

Felipe Guimarães esteve testando pela GP3 em Silverstone (Foto: GP3)

Embora nada esteja definido, o piloto erradicado em Brasília reconheceu que poderia ter feito um trabalho melhor nos treinos coletivos – quando terminou com a 16ª posição entre 27 carros –, mas admitiu que o desempenho não foi ruim para quem estava distante havia tanto tempo.

“Treinei ontem e anteontem com um carro de 450 cv, em um nível altíssimo, com pilotos altíssimos, andando em uma categoria forte. Não foi exatamente o que eu esperava, mas foi bom, depois de dois anos”, completou.

Caso deseje correr também na GP3 em 2013, Guimarães tem poucas opções no grid. Além de duas vagas na Bamboo, apenas Marussia Manor, com outros dois carros em aberto, e ART Grand Prix ainda não definiram os pilotos.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube