GUIA FE 2019/20: Jimenez exala confiança na busca pelo bi do Jaguar eTrophy

Sergio Jimenez começa a caçada pelo seu bicampeonato no Jaguar iPace eTrophy neste final de semana, na Arábia Saudita. Após uma boa campanha de estreia na categoria em 2018/19, o brasileiro mostrou otimismo na busca de bons resultados para colocar, novamente, as mãos no caneco


 

A jornada de Sergio Jimenez pelo bicampeonato do Jaguar iPace eTrophy está prestes a começar. Neste final de semana, ao lado da Fórmula E, viaja para a Arábia Saudita para a primeira etapa do calendário da segunda temporada da história da categoria.
 

O campeonato de 2019/20 vai contar com oito etapas e dez corridas – as passagens por Ad Diriyah e Londres, abertura e fechamento do ano, vão ser em rodada dupla – com a saída de Hong Kong e Mônaco e a chegada da capital inglesa.
 
Mais adaptado ao carro, conhecendo o calendário e todas as manhas, o brasileiro da equipe Jaguar Brazil espera repetir o bom sucesso que apresentou na temporada passada. Os números realmente chegam a impressionar: nada menos que nove pódios, três vitórias e três pole-positions.
 
Pressão por ter de defender o título não é uma coisa que passa na cabeça do #10, que se muito mais tranquilo para o campeonato. “Fica mais fácil para o segundo ano, vamos repetir praticamente todas as pistas, entrando somente Londres, mas é novo para todos. Conheço o carro, o formato da competição, isso te faz mais confortável, tenho que usar isso ao meu favor da melhor maneira possível”, contou ao GRANDE PRÊMIO.
Sérgio Jimenez testou o carro da Jaguar na Fórmula E em Valência (Foto: Jaguar Racing)

“Então alguns vão ter que se adaptar e eu já vou estar adaptado e tenho que aproveitar essa vantagem ao máximo durante o ano para maximizar o número de pontos, pódios e vitórias. Foi um primeiro ano excelente com nove pódios e dez corridas, um pódio me roubaram, e vou para isso, esse é o objetivo, essa é a meta”, completou.
 

Sergio recebeu o maior dos presentes pelo título na temporada inaugural do Jaguar iPace eTrophy. Em outubro, no circuito de Valência, teve a oportunidade de guiar um carro da Fórmula E da Jaguar por quatro horas. Foi o retorno do competidor a um fórmula, carro que não pilotava a mais de dez anos – a última vez havia sido em 2008, na A1 GP.
 
Obviamente que a oportunidade foi amplamente aproveitada por Jimenez, que disse crer ter feito papel bonito na frente dos representantes da categoria elétrica, mas destacou manter os pés no chão e de seguir com o seu foco de conseguir o segundo título na categoria dos carros de turismo. “Foi muito bacana, fiquei muito contente com o teste”, disse ao GP.
 
“Claro que queria que fosse um pouquinho melhor ali, acabei andando com o carro geração 1, mas, enfim, tinha que ter aproveitado ao máximo e foi o que eu fiz. O carro tinha duração de bateria de 20, 25 minutos no máximo e demorava um pouco para carregar, então acabei dando só 11 voltas rápidas, o que é muito pouco. Poderia ter andado muito mais de tempo de pista, mas a bateria foi o limitante, não era só parar e abastecer, tinha que recarregar”, seguiu.
Sérgio Jimenez testou o carro da Jaguar na Fórmula E em Valência (Foto: Jaguar Racing)
“Mas foi bom, acho que chamei a atenção do pessoal, os engenheiros desceram lá e avaliaram os dados, os engenheiros que trabalham na FE, e é um carro muito particular, é um carro de fórmula, tem muito mais aderência, mas, ao mesmo tempo, o pneu limita muito e esse é o conceito da categoria, você tem que se adaptar às freadas principalmente”, continuou.
 
“Temos um freio de carbono, mas não pode usar muito, tem que esquentar ele, mas é difícil por causa do pneu. Então tem suas particularidades, mas acho que me adaptei muito rápido, foi muito importante ter ido ao simulador da Williams antes, então eles permitiram que fosse andar de FE, lá tive a oportunidade de andar com o carro ‘novo’”, emendou.
 
“Curti bastante, não sei se pode resultar em algo para o futuro, acho que deixei uma ótima impressão, é claro que sempre ficamos com uma esperança, tem que pensar alto e se tiver a oportunidade com certeza não vou decepcionar eles. Vamos trabalhar agora, focar no iPace e temos a primeira etapa em 22 de novembro, vamos ver se trazemos o bicampeonato”, concluiu.
 
E se em 2018/19 Sergio viu em Cacá Bueno, seu companheiro de equipe, o maior adversário do grid, começa a temporada 2019/20 com uma ligeira vantagem. Com o #0 perdendo a rodada dupla de abertura do calendário, com a vinda de Mario Heberfeld para assumir o carro, o #10 tem a chance de já começar a construir uma importante vantagem na classificação.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube