Bird desaprova serviço comunitário de Verstappen em Marrakech: “Como se FE fosse uma punição”

Max Verstappen foi obrigado a aparecer no paddock da FE em Marrakech, cumprindo o primeiro dos dois dias de serviço comunitário por empurrar Esteban Ocon no GP do Brasil. Sam Bird não gostou da situação, que deixa a FE com imagem negativa

A presença de Max Verstappen na Fórmula E foi pensada como algo positivo, mas aconteceu em circunstâncias que não agradaram Sam Bird, piloto da Virgin no campeonato elétrico. O britânico não gostou que o holandês foi forçado a aparecer no paddock de Marrakech para cumprir um dia de serviço comunitário – como se a FE fosse uma forma de punição.
 
Verstappen foi obrigado a aparecer em Marrakech por conta do empurra-empurra com Esteban Ocon no GP do Brasil de 2018. A atitude antidesportiva significa que o holandês precisa se colocar à disposição da FIA em dois dias – o primeiro deles sendo justamente o eP no Marrocos.
 
“Eu não o vi, mas é legal que ele esteja aqui [em Marrakech]. Digo, dizer que vir a uma corrida de Fórmula E é um serviço comunitário é um pouco injusto”, disse Bird, à revista britânica ‘Autosport’. “Essa é uma categoria incrível e as pessoas pagam para nos ver. Vir aqui não deve ser visto como uma punição. Espero que ele tenha aproveitado e que ele dê algum feedback positivo aos seus colegas [na Fórmula 1]”, continuou.
Sam Bird não quer que a FE seja vista como punição (Foto: Virgin)
Allan McNish, chefe da Audi na FE e ex-comissário da F1, entendeu a função da presença de Verstappen. O ex-piloto elogiou a categoria por aplicar punição prevista no regulamento, por mais inusitada que seja.
 
“A gente não percebe que existe uma série de regras e regulações. Não é como se eles [comissários da F1] pudessem pegar o regulamento e dizer ‘não vamos fazer isso aqui nessa situação’. Se existe uma regra, eles aplicam da forma que está escrita, e nem são eles que escrevem as regras, são outros que fazem isso. Acho que eles fazem bem [seu trabalho]. Claro, foi divulgado de um jeito diferente, que ele veio aqui como punição. Não acho que essa foi a intenção, era para ser algo positivo”, encerrou.
 
Verstappen ainda tem que cumprir o segundo dia de serviço comunitário pela confusão com Ocon. A próxima atividade, todavia, ainda não foi definida pela FIA.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube