FE

Buemi crava pole para corrida 1 em Nova York e mantém sonho do título. Vergne é 10º

O treino de classificação para a primeira corrida do eP de Nova York contou com muita dificuldade dos líderes do campeonato no Grupo 1. Desta forma, as condições ficaram favoráveis para Sébastien Buemi, que aproveitou e cravou a pole. Jean-Éric Vergne, Lucas Di Grassi e Mitch Evans são respectivamente 10º, 13º e 14º

Grande Prêmio / PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro
Contra os desejos mais pulsantes dos primeiros colocados do campeonato, a pista do Brooklyn se mostrou uma das menos amistosas para os membros do primeiro grupo dos pilotos. Muita poeira, condições ruins e nenhum do top-5 do campeonato conseguiu uma vaga na Superpole. Sem eles, sobrou para Sébastien Buemi e Daniel Abt, os dois postulantes ao título em condição mais crítica, a chance de seguir sonhando por mais algumas horas. E quem aproveitou foi Buemi, que cravou a pole-position e diminuiu a desvantagem para 51 tentos com 55 ainda em jogo.

Diferente de Buemi, Abt não conseguiu o que precisava para se manter como postulante ao campeonato. Sem a pole, o alemão deixa oficialmente a briga pelo título, agora restrita a sete pilotos. Mas Abt ainda fica na segunda fila e vai para corrida com chances. 
Pascal Wehrlein é o segundo colocado, enquanto Alex Lynn é o terceiro. Alexander Sims e Sam Bird fecham as três primeiras filas, ao passo que José María López, António Félix da Costa, Robin Frijns e Jean-Éric Vergne completam o top-10. O décimo posto de Vergne e o oitavo de Da Costa mostram a dificuldade que tiveram os membros do Grupo 1, que ainda encarou a pista muito suja. 
 
O vice-líder do campeonato, Lucas Di Grassi, sai na 14ª posição, logo atrás do terceiro na classificação geral, Mitch Evans. O quarto do campeonato é André Lotterer, que larga no 16º lugar. Felipe Massa é o 21º.
 
Sébastien Buemi (Foto: Nissan)
Confira como foi a classificação:

Grupo 1 - Jean-Éric Vergne, Lucas Di Grassi, Mitch Evans, André Lotterer e António Félix da Costa
 
As duas DS Techeetah resolveram sair bem na frente para não serem incomodadas, padrão diferente do que os pilotos costumam mostrar no classificatório. Lotterer saiu primeiro, mas Vergne foi 0s2 mais rápido. Faltava ver como os outros andariam. 
 
Da Costa foi quem dominou o grupo ao cravar 1min10s845 e pulou para a dianteira, enquanto Evans passou quase 0s2 acima de Vergne e ficou com o terceiro posto do grupo. Di Grassi também foi pior que o francês e terminou com o quarto lugar do grupo.
 
Grupo 2 - Robin Frijns, Sébastien Buemi, Daniel Abt, Sam Bird e Jérôme D'Ambrosio
 
Com Frijns à frente, as duas Virgin saíram antes dos rivais, seguidos por Buemi, Abt e D'Ambrosio. Todos próximos um do outro e começando a volta rápida conforme o cronômetro zerava. No meio da volta, D'Ambrosio rodou na hora de contornar o cotovelo e ficou fora da briga.
 
O melhor do grupo foi Buemi, com 1min10s556 e a liderança, enquanto Bird ficou somente 0s032 atrás. Abt entrou na disputa, mas com 1min10s7 também cravou um tempo que não era qualquer garantia de Superpole. Frijns não foi bem e ficou ainda atrás de Da Costa, ao passo que D'Ambrosio ficou mesmo como mais lento após o erro.
Daniel Abt (Foto: Audi)
Grupo 3 - Oliver Rowland, Edoardo Mortara, Pascal Wehrlein, Felipe Massa, Stoffel Vandoorne e Alexander Sims
 
Vandoorne e Rowland se adiantaram no grupo, mas foram muito mal. O belga errou feio no último setor, fez muito para evitar uma batida, enquanto inglês passou mal no segundo. Foram, surpreendentemente, para 13º e 14º colocados, respectivamente. Massa também foi mal e ficou só em 15º.
 
O melhor do grupo foi Wehrlein, pulando para o terceiro posto geral na mesma casa de 1min10s5 de Buemi e Bird. Sims fez o mesmo, apenas 0s001 mais lento que o alemão, e foi para quarto. Mortara ficou longe, apenas 12º.

Grupo 4 - Maximilian Günther, Alex Lynn, Gary Paffett, Oliver Turvey, José María López e Tom Dillmann
 
Os seis pilotos com menos pontos para o campeonato saíram no grupo que pegou a pista mais favorecida. Quem impressionou foi López, que acertou a mão no trecho final da pista durante a volta rápida e subiu para o sexto posto e último espaço da Superpole - de forma momentânea. Porque Lynn foi o último na pista, fez uma excelente volta e ficou com o quinto posto, jogando López para sétimo. 
 
Günther e Dillmann ficaram, nessa ordem, separados por 0s001 e subiram para a 11ª e 12ª colocações, ambos separando Vergne da dupla Evans/Di Grassi. Paffett foi 16º e Turvey fechou em 18º.
 
A Superpole, assim, ficou com Buemi, Bird, Wehrlein, Sims, Lynn e Abt.
Alexander Sims (Foto: BMW)
SUPERPOLE
 
O primeiro na pista foi Abt, que precisava da pole para se manter na briga pelo título ao menos até a corrida. O alemão marcou 1min10s8 e ficou em situação complicada que seria definida logo na sequência, quando Lynn passou em 1min10s6. Sims foi levemente mais lento que Abt, ao passo que Wehrlein assumiu a dianteira com 1min10s600. Bird tinha expectativas, mas errou e ficou com o último tempo. A chance era toda de Buemi, que não desperdiçou: cravou 1min10s188 e a pole da corrida 1 em Nova York.

FE, eP de Nova York, Treino de Classificação, Final:

1 S BUEMI Nissan 1:10.188  
2 P WEHRLEIN Mahindra 1:10.600 +0.412
3 A LYNN Jaguar 1:10.696 +0.508
4 D ABT Audi 1:10.894 +0.706
5 A SIMS BMW 1:10.899 +0.711
6 S BIRD Virgin Audi 1:11.094 +0.906
7 J.M LÓPEZ Dragon Penske 1:10.836 +0.648
8 A FÉLIX DA COSTA BMW 1:10.845 +0.657
9 R FRIJNS Virgin Audi 1:10.854 +0.666
10 J.E VERGNE DS Techeetah 1:10.933 +0.745
11 M GÜNTHER Dragon Penske 1:11.005 +0.817
12 T DILLMANN NIO 1:11.006 +0.818
13 M EVANS Jaguar 1:11.065 +0.877
14 L DI GRASSI Audi 1:11.080 +0.892
15 G PAFFETT HWA Venturi 1:11.095 +0.907
16 A LOTTERER DS Techeetah 1:11.222 +1.034
17 E MORTARA Venturi 1:11.326 +1.138
18 O TURVEY NIO 1:11.413 +1.225
19 S VANDOORNE HWA Venturi 1:11.449 +1.261
20 O ROWLAND Nissan 1:11.605 +1.417
21 F MASSA Venturi 1:14.862 +4.674
22 J D'AMBROSIO Mahindra 1:18.262 +8.074


Paddockast #24
A BATALHA: Indy x MotoGP


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.