FE

Campeão inaugural da FE, Piquet entra em acordo com Jaguar e deixa equipe após 6 etapas

Nelsinho Piquet não vai mais entrar no cockpit da Jaguar para a temporada 2018/19 da Fórmula E. Campeão da primeira temporada da categoria, o piloto brasileiro finaliza assim uma passagem de 18 corridas em que esteve abaixo do esperado

Grande Prêmio / PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro
Chegou ao fim da linha a experiência de Nelsinho Piquet pela Jaguar. O campeão da primeira temporada da Fórmula E foi contratado pela equipe da fábrica inglesa com pompa do título conquistado em 2015 e altas expectativas. Após uma temporada e meia, Piquet não foi ao pódio uma vez sequer e se despede num campeonato 2018/19 extremamente decepcionante. O acordo entre as partes, definido nesta quinta-feira (28), foi mútuo, segundo o comunicado geral, mas entende-se que o piloto, pressionado, foi na verdade demitido.
 
Piquet fez 18 corridas e até começou bem no ano passado - nas cinco primeiras corridas do ano, fez quatro top-6. Mas pontuou apenas duas vezes nas 13 provas seguintes. Nesta temporada, anotou um ponto em seis corridas: na abertura, em Ad Diriyah. O companheiro Mitch Evans foi aos pontos em todas as etapas.
Nelsinho Piquet (Foto: Jaguar)
 
“Gostei de trabalhar com a Jaguar durante a última temporada e meia. Mas os resultados na temporada 5 não atingiram nossa expectativa conjunta. Inicio minha temporada na Stock Car na próxima semana e este será meu foco em 2019. Sigo apaixonado pela Fórmula E, estando envolvido com a categoria desde a primeira temporada e conquistando aquele campeonato. Desejo à Jaguar o melhor para o restante da temporada”, disse o piloto. 

“Debatendo depois de Sanya, Nelson e nós refletimos sobre a posição do time. Lamentavelmente concordamos que ele deixará a Jaguar para aceitar outras oportunidades que foram oferecidas. Tivemos um grande avanço quando Nelson se juntou ao time na temporada 4, e ele conquistou grandes resultados para a equipe. Mas os resultados recentes não atingiram a expectativa dele e do time", afirmou o chefe da Jaguar, James Barclay.
 
"Queremos aproveitar a oportunidade para agradecer por todo seu trabalho desde os preparativos para a temporada 4; ele teve contribuição significativa no desenvolvimento do carro. Desejamos o melhor em suas futuras empreitadas. Seu substituto será anunciado em breve”, finalizou.

Em Sanya, a situação havia ficado realmente pesada. Piquet foi o pior entre os 22 pilotos na classificação e até fazia uma boa corrida de recuperação na corrida quando bateu sozinho. Ele admitu a culpa, mas destacou que partir para uma estratégi de recuperação é a única saída quando se larga tão mal - o que, de fato, é um traço do carro da Jaguar. 

"Está faltando alguma coisa no momento e, quando você guia o carro, as chances são sempre maiores quando as coisas andam errado. Claramente não ajuda que nos dois larguemos lá atrás. Normalmente há apenas uma estratégia, que é ser agressivo", falou após a prova. 
Nelsinho Piquet ao lado de Mitch Evans, seu companheiro de equipe (Foto: Jaguar Racing)
"No meu caso, aceito toda a responsabilidade por bater no muro - eu estava forçando, nada tinha a perder e precisava ganhar posições. A equipe está trabalhando duro, mas precisamos trabalhar mais duro e continuar progredindo para melhorar posições nas classificações e nas corridas", falou.

A informação original foi do site inglês 'E-Racing365'. O GRANDE PRÊMIO confirma a informação e entende que será emitido um comunicado ainda nesta quinta-feira. 

Piquet tem duas vitórias na FE, ambas conquistadas na temporada inicial: Long Beach e Moscou. Ainda naquela temporada, foi ao pódio em Punta del Este, Buenos Aires e Mônaco. Ao todo, tem 237 pontos marcados nestas cinco temporadas. Com a saída do brasileiro, apenas António Félix da Costa, Jérôme D'Ambrosio, Sam Bird e Lucas Di Grassi formam a lista dos pilotos que guiaram em todas as etapas da história da FE. 
 
O favorito para substituir Piquet, ao menos até agora, é o inglês Alex Lynn, que foi titular na Virgin na temporada 2017/18.