FE

Chefe da Audi afirma que possibilidade do título de Construtores era “loucura” após eP do Chile

Allan McNish, ex-piloto de carreira laureada e atualmente o chefe da Audi na Fórmula E, afirmou que chamaria de insano qualquer um que afirmasse, em dado momento da temporada, que a Audi poderia se recuperar para disputar o título de Construtores. A briga, afinal, era pelo quarto ou quinto lugar no fim da temporada
Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro
 Lucas Di Grassi (Foto: Audi)
O título de campeã de Construtores que a Audi capturou na última corrida da temporada 2017/18 da Fórmula E teve ares de milagre. Afinal, foram quase 80 pontos de desvantagem em dado momento do campeonato em relação à Techeetah. O chefe da equipe alemã, Allan McNish, abriu o jogo: jamais pensava em sequer encostar no título.
 
McNish, que viveu seu primeiro ano à frente do time de fábrica, foi questionado sobre o que responderia caso fosse informado, ainda depois do eP de Santiago, que terminaria campeão.
 
"Nós diríamos que você estava maluco", disparou ao repórter do site norte-americano 'Motorsport.com'.
 
Naquele momento da temporada, após quatro corridas, a Audi somava 11 pontos contra 89 da Techeetah. No fim do ano, a conta terminou 264 a 262 para os alemães.
 
"De forma alguma eu acreditava que, quando estava saindo do paddock em Santiago, que teríamos uma chance como essa - e confirmá-la. Estávamos tentando, honestamente, alcançar o quarto ou quinto lugar, certamente não dava para ser terceiro ou segundo. E depois 'opa, temos uma chance de fazer isso'", lembrou.
Allan McNish (Foto: Reprodução)
"Mas tínhamos [a chance] e fomos atrás dela. Algumas vezes a sorte encontra os corajosos. É meio surreal, ainda que muito prazeroso e um grande alívio, mas estou orgulhoso de termos atingido uma das maiores viradas que eu já vivenciei na Audi - e participei de algumas. Mas essa com certeza foi a maior", opinou.
 
Outro questionamento foi o que McNish, um ex-piloto vencedor das 24 Horas de Le Mans, aprendeu após a temporada e que não imaginava antes.
 
"Que seria tão difícil quanto foi. Não é apenas sobre o desempenho do carro, porque isso te leva apenas até determinada distância, mas sobre melhorar todas as áreas de disputa. E não dá para controlar todas. É aí que está: dá para controlar as pequenas partes, mas outras são criadas para serem incontroláveis. O ajuste de classificação é exatamente isso" pontuou.
 
"É uma aposta quando você entra na classificação com diferentes partes, mas esse aspecto é igual para todos. Ainda que meu cérebro como membro da Audi não goste disso, meu cérebro de torcedor gosta", contou. 
 
"Minha cabeça de automobilismo diz que se fizermos um trabalho melhor que o resto, venceremos o campeonato ao fim do ano. JEV foi um piloto brilhante, eles mereceram. [Os campeões] merecem realmente o título neste campeonato, porque, vou dizer o seguinte, não é fácil de forma alguma. Nenhuma mesmo", encerrou.
 
A temporada 2018/19 da FE começa apenas em dezembro, no dia 15, com o eP de Riad.