Com etapa no Pará, Extreme E confirma calendário para 2021

A organização da Extreme E, nova categoria de SUVs elétricos, liderada por Alejandro Agag, anunciou o calendário oficial da sua primeira temporada, prevista para 2021. Como anunciado antes, o Brasil tem prevista a realização de uma etapa, em Santarém, no Pará, marcada entre 29 e 31 de outubro

A nova Extreme E já tem o calendário definido para a sua primeira temporada. Com cinco etapas entre janeiro e outubro de 2021, a competição, comandada por Alejandro Agag — chefão da Fórmula E — e que tem em Gil de Ferran seu diretor-esportivo, apresentou oficialmente os locais das cinco etapas para seu ano de estreia. Como anunciado tempos atrás, o Brasil faz parte do calendário com uma etapa na Amazônia, mais precisamente em Santarém, no Pará, fechando a temporada entre 29 e 31 de outubro.
 
A proposta da nova Extreme E é ser um “novo conceito esportivo e de entretenimento. As corridas vão ser disputadas em todos os ambientes mais remotos do mundo para demonstrar a performance dos SUVs elétricos em condições climáticas extremas, além de destacar o impacto que a mudança climática já está tendo em tais ecossistemas”.
 
A abertura oficial da categoria está marcada para os dias 22 a 24 de janeiro e vai ter como cenário o singular Lac Rose (Lago Rosa, em tradução livre), localizado a uma hora de Dacar, capital do Senegal. Entre 4 e 6 de março, a caravana da Extreme E compete na Arábia Saudita, em Sharaan, em região desértica. Entre 6 e 8 de maio, a competição vai para o Nepal e corre no Vale Kili Gandaki, o mais profundo do mundo, localizado entre as montanhas Annapurnas e Dhaulagiri, as duas de mais de 8 mil metros de altura.
 
A Extreme E volta entre 27 e 29 de agosto e parte para outro lugar inóspito: Kangerlussuaq, na Groenlândia. E entre 29 e 31 de outubro, a etapa final da primeira temporada está marcada para Santarém, no Pará, com a categoria pronta para desbravar a Floresta Amazônica.
 
A nova categoria, que traz um pouco da essência do que foi o famoso Camel Trophy nos anos 1980, é presidida por Gil de Ferran, conta com o envolvimento direto de Agag e também com a participação de dois grandes nomes: o explorador e ambientalista David de Rothschild e o cineasta vencedor do Oscar, Fisher Stevens. A ideia é que a categoria seja transmitida em formato de documentário esportivo.
 
Entre as empresas apoiadoras anunciadas está a marca alemã de pneus Continental, destacada como parceira e fundadora, além da empresa brasileira CBMM, como fornecedora de nióbio.
A Extreme E tem na sua agenda uma etapa Santarém, no Pará, em outubro de 2021 (Foto: Divulgação)
A nova XE, que vai ser operada em associação com a Fórmula E, vai ter o formato de competição parecido com o que é adotado pela Corrida dos Campeões, com divisão de dois grupos de seis equipes, as quatro primeiras passando para a fase de mata-mata até chegar à final.
 
A categoria anuncia que os estágios off-roads vão ter cerca de 610 km de extensão, com uma variação de terreno, clima e altitude para tornar a competição um grande desafio não apenas para os pilotos e navegadores, mas também para as novas máquinas elétricas. Os veículos SUV vão ser elétricos, com chassi e carroceria desenvolvidos por cada montadora, além de desenvolvimento ilimitado do motor. Ao todo, as equipes vão ser formadas por piloto e navegador, nos moldes do que acontece no rali.
 
No momento, a Extreme E confirmou os 11 primeiros pilotos que vão participar da temporada inaugural da competição. A lista de nomes inclui Sébastien Ogier, hexacampeão mundial de rali, Jamie Chadwick, campeã da temporada 2019 da W Series, André Lotterer, três vezes vencedor das 24 Horas de Le Mans, e Lucas di Grassi, campeão da temporada 2015-16 da Fórmula E.
 
Completam a lista Timmy e Kevin Hansen [pai e filho], Andreas Bakkerud, Timo Scheider, Katherine Legge, Mikaela Ahlin-Kottulinski e Sacha Prost. 
 
Presidente da Extreme E, De Ferran, que também comanda o projeto da McLaren para a Indy, destacou o ineditismo da iniciativa. 
 
“Este é um projeto extremamente empolgante. A Extreme E oferece um esporte único, aventura e conceito de entretenimento que jamais foi visto antes. Os espectadores podem esperar uma forma completamente nova de consumir o esporte, com cada episódio contando não apenas a história de uma corrida, mas a corrida mais ampla em termos de consciência e necessidade de proteger esses ambientes remotos e desafiadores que vão ser explorados pela Extreme E”, declarou o brasileiro.

Paddockast #46
OS 10 MELHORES PILOTOS DA DÉCADA

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube