FE

Di Grassi espera corrida “emocionante” em Roma e traça como objetivo “pontuar sempre e bem”

Lucas Di Grassi vai para a sétima etapa do campeonato 2018/19 da Fórmula E, em Roma, mantendo aquilo que tem sido a meta de lutar por títulos: pontuar constantemente e com vigor. Além disso, Lucas falou sobre a pista italiana e como o traçado abraça emoções fortes

Grande Prêmio / Redação GP, do Rio de Janeiro
A Fórmula E chega à Europa. Após seis etapas distribuídas por diferentes partes do globo, o campeonato para em Roma para a segunda edição da etapa italiana. Lucas Di Grassi tem dez pontos de desvantagem para o líder de um campeonato extremamente apertado. Assim, volta a pregar aquele que é o mantra que defende desde 2014: o mais importante é tirar todos os pontos possíveis em cada corrida. 
 
Di Grassi vem de uma corrida em que viveu decepção, o eP de Sanya. Lá, conquistava um quinto posto a duas voltas do fim, quando foi abalroado por Robin Frijns depois de um toque de Sébastien Buemi. O objetivo, como sempre, é pontuar para não perder a distância para António Félix da Costa ou quem quer que seja o líder do campeonato após a etapa.
 
"Vencer uma corrida é sempre sensacional, mas o importante no atual contexto é pontuar sempre – e pontuar bem. O objetivo é, logicamente, vencer corridas, mas o objetivo maior é sobretudo aumentar as chances de ser bicampeão", explicou.
 
A partir de agora, serão quatro corridas separadas por duas semanas cada. "Será um período de trabalho frenético para as equipes", analisou.
Lucas Di Grassi (Foto: Audi)
Di Grassi, que foi ao pódio em todas as etapas na Europa na temporada passada, falou que espera uma corrida emocionante na pista italiana. 
 
“O traçado de Roma é um dos mais desafiadores que temos na FE, com mudanças de elevação e até um salto em uma pista estreita e difícil. Se você considerar que todos os carros estão andando muito próximos, podemos dizer que no sábado teremos uma das mais emocionantes provas do ano. Para o público e para os pilotos também”, avaliou.
 
Sobre o acidente da China, lamentou. "Coisas assim, que estão totalmente fora do seu controle, deixam a equipe muito frustrada, pois todos trabalham duro para chegar a um bom resultado. Mas nós somos duros na queda. Em Roma vamos mostrar do que somos capazes", encerrou.