Di Grassi justifica estratégia conservadora em Hong Kong e avalia que tentar ultrapassar “é risco muito alto”

Após a segunda colocação em Hong Kong, Lucas Di Grassi foi questionado sobre o motivo de não ter tentando ultrapassar Edoardo Mortara nas voltas finais da forma como fez com Pascal Wehrlein no México. Segundo ele, o custo-benefício era proibitivo

Lucas Di Grassi terminou o eP de Hong Kong de dois fins de semana atrás na segunda colocação – terceiro na pista, mas alçado um posto à frente pela punição a Sam Bird. Por que, já que estava relativamente próximo de Edoardo Mortara quando a punição a Bird já era óbvia, não atacou o suíço? Segundo Di Grassi, a relação custo-benefício era prejudicial.
 
O piloto da Audi avalia que a estratégia foi conservadora na parte final da corrida por conta dos grandes riscos de fazer uma ultrapassagem na FE atual – algo destacado em forma de crítica pelo atual campeão Jean-Éric Vergne. Com energia de sobra nos carros, especialmente numa corrida com muitas intervenções do safety-car, todos estão com o ritmo máximo 100% do tempo e, assim, falta espaço para ultrapassagem. 
 
"Quanto mais direta a corrida é, maior risco você assume para ultrapassar. Isso é claro agora. A quantidade do risco que você assume para ultrapassar é muito alto na comparação com o possível retorno disso. Pelo menos é assim que eu vejo", comentou ao site inglês 'E-Racing365.com'.
Lucas Di Grassi (Foto: Audi)

"Ainda que eu fosse bem mais rápido que o Mortara com o modo ataque, não dava para encontrar um espaço – e ele fez um bom trabalho também, não cometeu erros", afirmou. 

 
O único momento de ousadia durante a corrida foi o mergulho para cima da HWA de Gary Paffett. "É muito difícil ultrapassar em Hong Kong, mas eu sabia que tinha mais ritmo que o Paffett, então ultrapassei com minha única tentativa real na corrida."
 
Di Grassi ainda falou sobre a largada, quando acabou perdendo duas colocações.
 
"Eu larguei bem, mas André, na minha frente, patinou muito. Quando eu decidi ir por dentro, fiu bloqueado por Bird e Mortara veio por fora. Foi uma fração que não deixou eu ir por fora. Às vezes acontece uma decisão que não é perfeita quando as coisas estão movimentadas lá atrás", encerrou.
 
A FE volta nesta semana com o eP de Sanya. 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube