Di Grassi ressalta necessidade de ir bem na classificação e vê eP de Marrakech favorável à Audi após mudanças

Lucas Di Grassi está animado com a segunda participação dele em Marrakech. Se em 2017 o carro da Audi ABT não casava muito com a pista, agora, como equipe oficial, a análise é que outra

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Lucas Di Grassi já está no Marrocos. Enquanto um ano atrás, na primeira edição do eP de Marrakech, Lucas não tenha ido tão bem, agora ele acredita que as ostensivas mudanças feitas pela Audi para a temporada tenham um efeito positivo. A confiança é por crer que o novo carro pode se sobressair no traçado veloz.

 
Di Grassi explicou que a Audi otimizou a relação entre motor e câmbio e passou a ter apenas uma marcha, o que cria uma facilidade maior para bom desempenho em pistas tão rápidas como a marroquina. 
 
“A equipe desenvolveu um trem de força que permite que o conjunto motor e câmbio trabalhe com máximo desempenho por mais tempo, com menores variações de rendimento. E isso é o ideal para uma pista rápida, dotada de muitas retas. Esse trabalho de evolução deve nos ajudar o ano inteiro, mas Marrakech é a pista que melhor casa com essa característica”, destacou.
 
“Em 2017 nosso conjunto câmbio/motor não era dos melhores para o estilo do traçado de Marrakech. E o que conta em Marrakech é realmente ter potência e poder usá-la da melhor forma”, avaliou.
Lucas di Grassi (Foto: Audi)
Após uma estreia pouco positiva na rodada dupla de Hong Kong, ele sabe que precisa começar a reagir. Di Grassi sabe que é fundamental que vá bem no treino de classificação.
 
“Em Hong Kong caí no Grupo 1, que é o primeiro a entrar na pista. Isso não é o ideal, pois o asfalto ainda não está emborrachado – o que reduz a aderência e piora os tempos de volta. De qualquer forma, os tempos estão bastante apertados neste início de ano, e isso significa que teremos que trabalhar muito, independentemente do grupo classificatório que cairmos”, falou.
 
“O que aconteceu em Hong Kong foi um acidente de percurso. Nós sabemos do potencial que temos para vencer corridas este ano. Mas o mais importante é pontuar e seguir com foco total no campeonato”, encerrou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube