FE

Direito a armar cinco ataques e atenção às zonas de ativação: os novos detalhes sobre o 'Modo Mario Kart'

O novo modo de ataque da Fórmula E, criado para substituir as trocas de carro na questão da mudança de dinâmica durante as corridas, ainda é um mistério na prática. Na teoria, entretanto, ele acaba de ser um pouco mais desvendado
Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro
 Alexander Sims (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)

Em um mês a Fórmula E vai começar a quinta temporada de sua história. Com novos carros e modelos, a jornada 2018/19 vai contar também com um novo formato de corrida. O chamado 'Modo Mario Kart', quando ainda estava em fase beta, agora teve mais detalhes divulgados.
 
Cada piloto vai contar com cinco oportunidades de armar o modo de ataque durante uma corrida. Tal modo dará 25 kw extra de potência para o carro. Para armar o sistema os pilotos terão de acionar um botão no volante entre 1s e 5s antes de passar por uma das zonas de ativação designadas - que vão ser diferentes em cada uma das pistas.
 
Após isso, os pilotos terão de passar por três círculos marcados na pista, que serão monitorados pela direção de corrida. Os dois transponders do carro serão, então, usados como meios da ativação da potência extra em cada carro. O passo a passo do sistema foi divulgado pelo site inglês 'E-Racing365'. A expectativa ainda não confirmada é que o modo possa ser ativado de forma seguida, sem haver tempo mínimo entre os usos.
 
"Estamos introduzindo mais uma inovação que vai adicionar mais um espetáculo ao esporte a motor e nossos eventos, que já contam com corridas intensas e imprevisíveis", afirmou um porta-voz.
Nelsinho Piquet puxa a fila na sessão de teste coletivo desta quarta em Valência (Foto: Jaguar Racing)
O novo sistema foi criado para causar uma mudança de dinâmica nas corridas, visto que os pit-stops para troca de carros saíram de cena ao fim da temporada passada - a partir de agora as baterias resistem por uma prova completa.
 
Quando algum piloto passar certamente por todas as exigências e se preparar para receber a potência extra, mas um safety-car ou amarela de pista completa forem acionados, porém, será uma aposta perdida. 
 
"É correto que se você ativar o modo de ataque, que inclui armar e guiar sobre os círculos de tempo, e então acontecer um safety-car ou bandeira amarela de pista inteira, sim, é uma pena", explicou o que o 'E-Racing365' creditou como um chefe de equipe da categoria. 
 
"Querem deixar aberto para essas condições de FCY e SC apenas para o caso de um incidente no fim que faça a corrida terminar num desses casos. [Caso isso não aconteça] e você não usar todos os seus modos de ataque, pode haver um número importante de punidos por desrespeitar as regras de usar 100% dos ataques, ainda que sejam impedidos pelas circunstâncias", falou.
 
O novo modo de ataque foi testado durante uma corrida de ensaio realizada durante a pré-temporada de Valência.