FE

Doria promete novidades sobre Fórmula E em SP “muito em breve”: “Estamos no jogo, sim”

Em meio a coletiva de imprensa realizada após a reunião com Chase Carey, CEO da F1, na última terça-feira (25), João Doria comentou sobre a possibilidade de São Paulo receber a Fórmula E na próxima temporada. E, segundo o governador, a cidade “segue no jogo” para que a categoria de carros elétricos venha ao Brasil

Grande Prêmio / FELIPE NORONHA, de São Paulo

A Fórmula E divulgou seu calendário para a temporada 2019/20 no último dia 14 de junho, sem o Brasil, mas com um palco a ser definido na data de 14 de dezembro deste ano, em meio às outras 11 etapas (com 14 corridas, sendo que Arábia Saudita e Londres receberão rodadas duplas).

De acordo com informações obtidas pelo GRANDE PRÊMIO, São Paulo é a cidade que negocia para ocupar este espaço ainda vazio no calendário. E, na última terça-feira, o governador do Estado de SP, João Doria, indicou que, de fato, a capital paulista busca receber a prova da categoria de carros elétricos.

Após a reunião realizada com Chase Carey, CEO da Fórmula 1, sobre se o autódromo de Interlagos seguirá recebendo o GP do Brasil a partir de 2021, em briga contra o presidente Jair Bolsonaro, que afirma que Deodoro será o palco da prova daqui dois anos, Doria concedeu entrevista coletiva e, em determinado momento, a Fórmula E foi assunto.

E, segundo o governador, é questão de tempo para que novidades sobre a FE em São Paulo sejam reveladas: "Você terá notícia a respeito da Fórmula E nas próximas semanas. Estamos no jogo sim, você terá notícias muito em breve, talvez a gente frustre o ministro nas indicações que ele fez", comentou.
João Doria e Chase Carey na reunião realizada em São Paulo (Foto: Governo do Estado de SP)
A citação do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, veio após este afirmar que "recebeu aval da FIA" para realizar etapa da categoria em Brasília, Rio de Janeiro ou Belo Horizonte.

Doria, porém, disse que São Paulo segue à frente nesta negociação: "Respeito também o Ministro do Turismo, mas essa não é uma decisão política, volto a dizer. Eventos desta natureza, seja de F1, ou qualquer outro acontecimento automobilístico, envolve um investimento muito alto, não é uma decisão de ordem política, ou uma decisão que se faz de cima para baixo, escolha essa cidade, ou aquela, e o promotor vai e organiza."

"Não é assim na F1, não é assim em nenhum outro torneio de automobilismo com acompanhamento da FIA. Não é meu mundo, mas a FIA não organiza nada, ela acompanha os projetos, ela emite opiniões, mas ela não é ‘decision maker’ em absolutamente nada e nem sobre onde ou não deve ser realizada uma atividade de automobilismo de competição", concluiu.

Paddockast #22
O que torna uma corrida de qualquer categoria legal? E chata?



Desde a criação da FE, em 2014, o Brasil é colocado como palco de uma etapa da categoria - chegando a cancelar a corrida que estava no calendário da temporada 2017/18, no dia 17 de março de 2018. 

Aquela prova estava marcada para o Anhembi, e foi cancelada sobre o argumento de que o processo de privatização do parque impedia a realização.

No momento, o Ibirapuera surge como o possível palco para a pista de rua que a FE exige para sua realização - ao menos segundo a prefeitura de São Paulo.

 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.