Fórmula E admite que mudou roupa dos funcionários em Paris para se afastar do Movimento dos Coletes Amarelos

A Fórmula E fez ajustes de segurança para evitar que novos protestos na capital francesa perturbasse os dias do evento, mas uma mudança chamou a atenção: a mudança da cor da roupa dos funcionários da categoria. Quem confirmou foi Alejandro Agag, o diretor-executivo

Os intensos protestos que marcaram o começo do ano em Paris, organizados pelo movimento Gilets Jaunes (Coletes Amarelos, em tradução livre), preocuparam a Fórmula E e causaram uma mudança insólita para o eP realizado na capital francesa na última semana: uma mudança no vestuário.

 
Cabe uma explicação: os protestos que eclodiram e tomaram o centro de Paris entre fevereiro e março deste ano foram como forma de se opor às políticas econômicas do presidente Emmanuel Macron e em nome de justiça econômica na França. Os Gilets Jaunes ganharam muita força desde o fim de 2018.
 
Desde então, a FE discutiu com a cidade de Paris e respectivas forças de segurança quais seriam as formas de garantir que o evento acontecesse sem problemas. Segundo Alejandro Agag, uma das mudanças importantes foi deixar de usar os jalecos de cor amarela que normalmente identificam os funcionários da categoria que trabalham com a montagem da estrutura.
Os coletes azuis do pessoal da montagem (Foto: Michelin)

"Mais e maior segurança [mudança feita]. E mudamos o jaleco que o nosso pessoal usa", contou ao site norte-americano 'Motorsport.com'.

 
"Todo mundo encarregado da montagem do circuito leva o jaleco amarela, assim como os encarregados pelos prédios. Exceto nessa corrida, que estão com jalecos azuis. Obviamente somos cuidadosos em essas situações. Incrementamos a segurança e nos preparamos para qualquer possível contratempo", explicou.
 
"Mas nos deram garantias de que não haveria qualquer tipo de problema, mas estávamos sempre alerta", finalizou. 
 
Paris recebeu, sim, manifestações contra o Governo Macron no fim de semana, mas em outra parte da cidade. Na pista, o que houve foi caos causado pelos pilotos, as regras e a chuva. Robin Frijns ganhou a corrida.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar