FE

Fórmula E retorna de pausa com ar de match point para Vergne e Di Grassi em Berna

Jean-Éric Vergne e Lucas Di Grassi não podem terminar o eP de Berna do próximo sábado, 22 de junho, com o título da Fórmula E. Mas podem, ambos, partir para Nova York com uma mão no troféu: precisam ganhar ir muito bem e contar com total fracasso dos rivais do top-5. No meio do ar de match point, está a complicada pista novata de Berna

Grande Prêmio / PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro
Os 28 dias sem corrida entre os ePs de Berlim é Berna formam a maior pausa da Fórmula E em 2019. Depois tanto tempo sem etapa, o retorno aconteceu numa pista um tanto quanto misteriosa. Berna substituiu Zurique após problemas logísticos no ano passado e, antes mesmo de estrear, já ficou fora do calendário da temporada que vem. Salvo alguma mudança de última hora, é um caso de 'one and done'. Mas não é só isso. Segundo Gary Paffett, por exemplo, "é definitivamente a pista mais desafiadora que vi até agora".
 
A opinião do bicampeão do DTM é embasada nas características: traçado com ondulações agressivas, veloz com retas cortadas por curvas de velocidade e trechos extremamente estreitos. É um convite para poucas ultrapassagens e muita confusão com essa turma do barulho, diria uma boa chamada de sessão cinematográfica vespertina.
 
A aparentemente complicada pista tem extensão um pouco maior que os 2,6 km e conta com 14 curvas. Traçado veloz e com poucas oportunidades para ultrapassagem durante a corrida, vai certamente ver uma briga de foice no treino classificatório. Estar ao menos no top-6, classificar para a Superpole, significa uma enorme oportunidade de marcar muitos pontos.
Traçado do eP Berna (Foto: FE)
É quando começa a diversão. O eP de Berlim, quatro semanas atrás, estabeleceu uma divisão: como o sexto colocado do campeonato está 33 pontos atrás da liderança, ficou evidente que o atual top-5 do campeonato briga pelo título chegando a Berna. A diferença entre o líder Jean-Éric Vergne e o quinto colocado, Robin Frijns, é de somente 21 pontos. Como o recorte é de apenas cinco pilotos ainda vivos na batalha pelo título, então todos os postulantes à conquista vão começar o treino classificatório no grupo inicial - o que, a esse ponto todos sabem, representa uma desvantagem para os ponteiros. Especialmente numa pista onde terão apenas 1h15 divididos entre duas sessões para conhecer o traçado.
 
Cabe uma pequena explicação aqui: óbvio que, com 87 tentos ainda em disputa no campeonato, estar 33 atrás não significa uma eliminação da briga pelo título. Nesse caso específico, o que complica a vida do sexto colocado, Mitch Evans - e de alguns atrás dele, porque Jérôme D'Ambrosio tem 35 de desvantagem, Oliver Rowland tem 37 e Sébastien Buemi tem 39 - é a quantidade de gente que precisa fracassar. Evans tem que torcer não apenas contra Vergne, mas ainda outros quatro pilotos. Ganhar todas as corridas seria um caminho óbvio, mas é irreal num cenário de equilíbrio em que ninguém venceu mais que duas corridas e sete equipes já comemoraram o lugar mais alto do pódio.
 
Vergne tem 102 pontos e guarda somente seis de vantagem para Lucas Di Grassi, mas são 16 para André Lotterer, 20 para António Félix da Costa e 21 para Frijns. Decerto que Lotterer, Da Costa e Frijns não colocarão a mão no título após Berna, ainda que tudo dê certo. Mas o cenário é outro para Vergne e Di Grassi.
eP de Berlim, 10ª etapa da temporada 18/19 (Foto: Michelin)
Caso consigam destaque na classificação enquanto os rivais fizerem tempos ruins normais na temporada, bom, então podem sair de Berna com uma mão no troféu. A possibilidade de acontecer é real: em Berlim, por exemplo, Lucas entrou na Superpole enquanto Vergne largou em nono, Da Costa foi oitavo, Frijns foi 21º e Lotterer foi 22º. 
 
O campeonato ainda vai oferecer boa quantidade de pontos depois de Berna, na rodada dupla em Nova York - 58 tentos ainda estarão em jogo, para ser específico. Mas pode colocar, sim, o troféu no caminho de líder ou vice caso tudo dê certo para ambos. Vergne e Di Grassi são os únicos pilotos do grid com duas vitórias no ano e vêm de uma vitória para cada nas últimas duas provas. 
 
Em suma, a Fórmula E está de volta para a 11ª etapa da temporada: primeira que chega envolta em ares de match-point. Entre as muitas conversas de calendário e novas regras, o campeonato espera recuperar o fogo que o hiato tirou. 

Resultado de imagem para logo Michelin png 
Corrida: eP de Berna
 
Circuito: Bern Street Circuit
 
Extensão da pista: 2.668 km

Curvas: 14
 
Inscritos: 11 equipes, 22 pilotos
 
Calendário (horários de Brasília):
 
 
Sábado, 22 de junho:
3h55-4h40 – FE TL1
6h20-6h50 - FE TL2
8h30-9h35 – FE Classificação
13h03-4h – eP de Berna (45 minutos + 1 volta)
 
Vencedores anteriores:
Prova estreante
 
Volta mais rápida: 
Prova estreante
 
Último pole-position: 
Prova estreante
 
Pneus: Michelin Pilot Sport
 
Previsão do tempo: Dia nublado, 14 - 18ºC. Chances de chuva estão em 25%.
 
TV: Fox Sports (12h30)


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.