FE

Frijns sobrevive a morticínio em Paris e vence primeira corrida com chuva da história da FE. Di Grassi é 4º

A oitava etapa da temporada 2018/19 da Fórmula E foi um caos como poucas vezes se viu na Fórmula E. Em meio a uma confusão quase que indescritível, Robin Frijns se tornou o oitavo piloto a vencer em oito corridas na temporada e conseguiu fazer a Virgin a ser a primeira equipe a vencer duas provas no ano

Grande Prêmio / PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro
Poucas vezes nos últimos anos - muitos anos - uma corrida de carros foi tão desorganizada. E aí entra o eP de Paris deste sábado (27), a primeira corrida com chuva da história de uma Fórmula E que não precisa de qualquer ajuda para criar algum caos particular. Mas justiça seja feita: já que a ajuda se apresentou, a categoria abraçou. O que se viu na Esplanada dos Inválidos foi um tiroteio, parecia uma cena de guerra de 'Game of Thrones'. Batidas, empurrões, rodadas, tudo que havia no leque de desespero coletivo foi acionado simultaneamente. Robin Frijns venceu, mas no meio de um completo morticínio, talvez importe até menos. 

O começo já foi bastante estranho. Apenas cerca de meia hora antes da largada os comissários retomaram o show de horrores que estava guardado há algumas corridas e desclassificou pole-position e líder do campeonato da classificação, Pascal Wehrlein e Jérôme D'Ambrosio, por problemas de calibragem nos pneus. Oliver Rowland e Sébastien Buemi fizeram uma primeira fila toda da Nissan, mas que durou pouco. Rowland errou na segunda volta e bateu, enquanto Buemi teve problemas e nem viu o começo da chuva na liderança. 
 
Robin Frijns assumiu a ponta e caminhou muito bem, ainda que durante a chuva. Resistiu quando precisou, sobretudo nas relargadas e não cometeu erros. Venceu, assim, a primeira dele na categoria. Foi o oitavo vencedor em oito provas, mas colocou a Virgin como única equipe a vencer com os dois pilotos até agora. 
 
André Lotterer conseguiu fazer as ultrapassagens necessárias para mais uma vez aparecer no pódio e foi o segundo colocado, enquanto Daniel Abt fechou o pódio. Lucas Di Grassi, Max Günther, Jean-Éric Vergne, António Félix da Costa, Gary Paffett, Felipe Massa e Pascal Wehrlein fecharam o top-10. 
Robin Frijns (Foto: Virgin)
Confira como foi o eP de Paris:

Após a novidade de que Pascal Wehrlein e Jérôme D'Ambrosio haviam sido punidos e largavam do fim do pelotão, uma nova notícia afetou a largada: por conta da chuva que caiu entre classificação da corrida, a largada teve de ser com safety-car. O motivo era que um dos lados da pista estava bem mais molhado que o outro, o que foi considerado injusto.
 
Na posição de pole, Oliver Rowland começou a carregar o pelotão e fez isso por uma volta e meia. Até simplesmente não contornar a décima curva e encher o carro da Nissan no muro. Apesar de continuar na corrida, o inglês caiu para a última colocação. Sébastien Buemi assumiu a liderança e manteve a Nissan por lá e tinha Robin Frijns em segundo e Felipe Massa na terceira colocação.
 
Frijns e Massa logo pegaram o modo ataque para tentarem um ataque para cima do suíço, que também se arriscou bastante para fazer o primeiro acionamento um minuto depois. Mesmo conforme os três estava com o modo ataque, Massa ficava para trás e Frijns era visivelmente mais rápido que Buemi. 
 
André Lotterer limpou caminho. Deixou para trás o lento Max Günther na reta e partiu para cima de Massa. Conforme o alemão conseguiu ganhar uma boa batalha em que Massa se defendeu bem e tomou a terceira colocação, a primeira posição também mudava de mãos: o pressionado Buemi ficou lento, com problemas, e abriu espaço para Frijns e todo mundo passar. Foi para o pit-lane tentar algum ajuste que salvasse o dia. 
André Lotterer (Foto: DS Techeetah)
No meio de tudo isso, chuva. Começou a chover com força na Esplanada dos Inválidos. Um festival de carros escorregando pela pista, mas deu tempo para Daniel Abt também forçar o carro mais veloz da Audi para cima de Massa e tomar a terceira colocação.

Aparentemente com a intenção de aplacar os efeitos da chuva, uma bandeira amarela de pista inteira foi chamada e saiu em pouco tempo. Mesmo com a água, corrida. Com a bandeira verde retomada António Félix da Costa e Sam Bird entravam num pega particular pela décima colocação. A briga era boa, até que o caos tomou conta de novo. Alexander Sims foi para o muro e, mais atrás, D'Ambrosio e Bird se tocaram e causaram uma fila na área de escape. Mais uma paralisação.
 
Na relargada, Frijns manteve a liderança, com Lotterer em segundo e Abt em terceiro. O reinício foi terrível para os pilotos da Venturi, com Felipe Massa rodando sozinho e Mortara colidindo contra o muro. O brasileiro caiu para a oitava posição, enquanto Mortara parou no 12º lugar.
Buemi, com a corrida já bastante prejudicada, recebeu drive-through por excesso de velocidade nos pits. Mortara tentou uma ultrapassagem sobre Lynn e ambos foram para a barreira, causando uma nova amarela. Massa foi tocado e rodou novamente, saindo do top-10. Mesmo com o fim da chuva, o safety-car foi acionado com menos de dez minutos para o fim.

Os últimos minutos não foram de procissão, embora a sensação geral que pairava era de que os ânimos haviam esfriado. D'Ambrosio, que já se envolvera em confusão com Bird, não conseguiu contar a curva e viu, quem mais?, José María López errar com ele. O belga ficou no muro e o argentino colado atrás dele para uma entrada do safety-car. Parecia o fim da corrida, mas resolveram lançar uma bandeira verde para a volta final. Frijns, esperto usou o modo ataque derradeiro rapidamente e abriu vantagem para receber a quadriculada com tranquilidade e vencer.

FE, eP de Paris, Resultado Final:

1 R FRIJNS Audi 32 voltas  
2 A LOTTERER DS Techeetah +1.373  
3 D ABT Audi +3.175  
4 L DI GRASSI Audi +3.666  
5 M GÜNTHER Dragon Penske +5.456  
6 J.E VERGNE DS Techeetah +6.694  
7 A FÉLIX DA COSTA BMW +7.238  
8 G PAFFETT HWA Venturi +7.901  
9 F MASSA Venturi +10.522  
10 P WEHRLEIN Mahindra +10.998  
11 S BIRD Virgin Audi +11.488  
12 O ROWLAND Nissan +19.451  
13 J.M LÓPEZ Dragon Penske +24.053  
14 O TURVEY NIO +1:22.226  
15 S BUEMI Nissan +1 volta  
16 M EVANS Jaguar +1 volta  
17 J D'AMBROSIO Mahindra +2 voltas  
18 A LYNN Jaguar +9 voltas NC
19 E MORTARA Venturi +9 voltas NC
20 S VANDOORNE HWA Venturi +14 voltas NC
21 A SIMS BMW +14 voltas NC
22 T DILLMANN NIO +15 voltas NC