FE

Interessada nos carros elétricos, Ford flerta com Fórmula E e almeja decisão já para “início de 2019”

O diretor-esportivo internacional da Ford, Mark Rushbrook, abriu o interesse da marca norte-americana no automobilismo elétrico nos próximos anos. Segundo ele, uma entrada na temporada 2019/20 na Fórmula E está sob estudo, mesmo que a Ford não possa criar uma nova equipe ou desenvolver trem de força

Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro
Há alguns anos a Fórmula E admite abertamente que tem como um de seus grandes objetivos atrair uma montadora norte-americana para a competição. O namoro agora tem interesse dos dois lados, porque a Ford começa a abrir interesse em ingressar na categoria.
 
De acordo com Alejandro Agag, presidente da FE, uma montadora norte-americana está ao lado de uma montadora sul-coreana como maiores objetivos, inclusive. E Mark Rushbrook, diretor-esportivo internacional da Ford, falou que a FE está, sim, no "pedaço de papel que estamos lendo".
 
"Olhamos muito atentamente para todas as formas de corrida durante 2018 para entender quais as opções existem para o esporte a motor elétrico, seja híbrido ou 100% elétrico. De acordo com nossos planos para carros de passeio, estamos interessados em somar uma forma de corridas elétricas em nosso futuro próximo", disse à revista inglesa 'Autosport'.
 
"Continuamos a estudar todas ou a maioria das nossas opções, e suspeito que faremos essa decisão ainda no início de 2019", seguiu.
António Félix da Costa (Foto: José Mário Dias)
Um ano atrás, a Ford teve conversas sigilosas com a FE e discutiu um ingresso, mas recuou. Agora, a vontade não fica em segredo.
 
Questionado sobre o fato de a entrada da Porsche na próxima temporada fechar o grid em 12 equipes e 24 carros, tido como o máximo do momento por enquanto, Rushbrook garante que a Ford tem espaço na temporada 2019/20. 
 
"Significa se juntar a uma equipe existente, fazer parceria com alguém que já está no grid hoje", afirmou.
 
A participação, caso deseje entrar mesmo na próxima temporada, não será com uma equipe de fábrica ou o desenvolvimento de trem de força, já que a data-limite já foi superada. Apenas no campeonato 2020/21 é que a Ford poderia aumentar a participação.
 
A única equipe dos Estados Unidos atualmente no grid é a Dragon, com quem a Ford tem boa relação. 
 
"Vou dizer que a DPi ainda é possível, em parte por conta do orçamento relacionado. Ainda que a DPi não seja eletrificada hoje, talvez possa ser no futuro", encerrou.
 
A atual temporada da FE segue no próximo fim de semana, com o eP de Marrakech.