FE

"Mais relaxado" na FE, Vandoorne critica políticas da F1 e diz que "não estou desesperado para voltar"

Stoffel Vandoorne tem aproveitado seu tempo longe da F1 para criticar a categoria na qual competiu até o ano passado. Para o belga, as políticas do principal campeonato do automobilismo mundial prejudicam muitos pilotos — e são motivos para que o piloto não tenha desejo de voltar no momento

Warm Up / Redação GP, de São Paulo
Tem se tornado comum ex-pilotos da F1 criticarem a categoria: depois de Brendon Hartley dizer que passou 2018 sabendo que "pessoas não me queriam lá", foi a vez de Stoffel Vandoorne comentar sua nova vida longe do principal campeonato do automobilismo mundial. 

O ex-piloto da McLaren, em entrevista ao site norte-americano 'Motorsport.com', afirmou que está "mais relaxado" agora que corre na Fórmula E, pela HWA, e que não quer voltar para a F1 no momento.

"Não tenho arrependimentos do meu tempo na McLaren. Não estava no melhor momento da minha carreira, definitivamente, e antes tudo estava correndo bem, mas acho que isso me fez mais forte. Havia um monte de coisa que eu não podia controlar, mas moldou meu caráter e agora já segui em frente", disse o belga.
Stoffel Vandoorne (Foto: McLaren)
Segundo Stoffel, o clima na FE é muito melhor: "Estou em um ambiente completamente diferente, o qual tenho curtido muito. É muito mais relaxado por causa da maneira com que os pilotos tratam uns aos outros, por causa da política [mais tranquila] no paddock", seguiu.

Por fim, Vandoorne garantiu que não pensa em voltar à F1 no momento: "É uma categoria imprevisível".

"Quando você olha para o mercado de pilotos do último ano, ninguém sabia o que ia acontecer. Há pilotos que lá estão que ninguém pensava que estariam, há outros que não estão e que todo mundo achou que estariam. Não estou desesperado para voltar à F1", completou.