FE

Massa critica atitude “típica de piloto da F3” de Günther, que rebate: “Bateu em mim algumas vezes”

Felipe Massa tinha chances reais de pontuar no eP de Santiago, mas um incidente que envolveu ainda Maximilian Günther e Oliver Rowland acabou forçando o abandono. Massa ficou frustrado mesmo com a primeira batida, quando entendeu que foi jogado no muro por Günther. O austríaco, por outro lado, acha que ele foi mais vítima

Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro
A Venturi marcou os primeiros pontos na temporada com o quarto lugar de Edoardo Mortara em Santiago. O companheiro dele, Felipe Massa, também estava na briga para pontuar. Estava na zona de pontos, inclusive, quando uma sequência de toques acabou forçando um abandono. E Massa não ficou satisfeito com o também novato Maximilian Günther, que ficou não gostou das reclamações.
 
Massa disse que o incidente "não deveria ter acontecido". A imagem mais forte da batida foi a da parte final, quando Massa arrastou no muro após um toque de Oliver Rowland. Mas, segundo ele, o problema mesmo foi na entrada da curva, quando Günther espremeu o carro da Venturi contra o muro. Quando Rowland chegou, o carro estava danificado. 
 
"Ainda que Rowland tenha me colocado no muro ao fim, na saída da curva, o problema começou antes, porque eu estava perto de Günther e ele me empurrou completamente contra o muro. Depois que Rowland entrou por dentro, nós tocamos na saída e o carro já estava quebrado", disse.
Max Günther e Felipe Massa (Foto: LAT)
Segundo Massa, Günther se mostrou um piloto clássico de categorias-satélite.
 
"O problema começou com Günter quando eu estava tentando ultrapassá-lo. É o típico piloto da F3 que freia o carro jogando contra o outro [piloto com quem está disputando]. Isso não ajudou", afirmou ao site inglês 'E-Racing365'.
 
Günther, que disputou a F2 em 2018 após passar as duas temporadas anteriores na F3 Euro, não gostou. Para o austríaco da Dragon, foi Massa quem passou dos limites pouco antes.
 
"Massa bateu algumas vezes no meu difusor nas duas últimas curvas. Do meu ponto de vista, não entendo o motivo pelo qual é ele quem está reclamando", respondeu.
 
Fora o abandono, Massa ao menos atestou uma melhora do carro e de toda a operação da Venturi.
 
"A corrida estava indo OK, nós estávamos nos pontos e a equipe fez um trabalho fantástico - Vandoorne também estava fazendo um bom trabalho em termos de ritmo. O ritmo está melhorando, assim como o carro e o time. Acho que isso é positivo", pontuou.
 
"Ter um carro melhor ajuda, então espero realmente que possamos entender mais coisas para melhorar antes do México", encerrou.
 
A FE volta em 16 de fevereiro, direto da Cidade do México.