Günther aproveita toque de Vergne em Cassidy e vence em Nova York na Fórmula E

Maximilian Günther assistiu de camarote quando Jean-Éric Vergne tentou uma ultrapassagem sobre Nick Cassidy. Os dois se tocaram e abriram caminho para o alemão virar líder e vencer. Lucas Di Grassi teve corrida limpa e terminou em terceiro

Austin Hill escapou da confusão e venceu em Knoxville na quarta prorrogação (Vídeo: Nascar)

Tudo indicava uma briga pela vitória apenas entre Nick Cassidy e Jean-Éric Vergne. Afinal, os dois estavam em primeiro e segundo desde a largada. Eis que uma tentativa estabanada de ultrapassagem do francês sobre o neozelandês abriu caminho para o triunfo de Maximilian Günther neste sábado (10) no eP de Nova York 1.

Vergne tentava forçar a barra para cima de Cassidy, que tinha menos bateria. Nick tentou fechar a porta, mas só conseguiu forçar um toque e custar tempo aos dois. Günther, que nada tinha a ver com a história, ganhou duas posições numa tacada só. Jean-Éric ainda salvou o segundo lugar, isso enquanto Lucas Di Grassi herdou o pódio.

Maximilian Günther venceu (Foto: BMW)

Cassidy ainda salvou o quarto lugar. Robin Frijns fechou o top-5, seguido por Sébastien Buemi e Oliver Rowland. A zona de pontos teve ainda André Lotterer, Sam Bird e René Rast.

A corrida teve um brasileiro no pódio. Para o outro, frustração tremenda. Sérgio Sette Câmara foi punido ainda nas voltas iniciais por infração técnica na largada. Cumprindo um drive-through, restou terminar em 18°, último dentre os que viram a bandeira quadriculada.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Saiba como foi o eP de Nova York 1

A corrida começou com uma largada boa de Lynn, que subiu para segundo, mas só para por tudo a perder com um erro na freada da curva 1. Cassidy seguia liderando, ainda com Vergne em segundo. Buemi, Günther e Lynn fechavam o top-5. A zona de pontos chegou ao fim da primeira volta também com Di Grassi, Wehrlein, Sims, Rowland e Lotterer. Sette Câmara perdeu posições, surgindo em 15°.

Cassidy e Vergne ensaiavam abrir alguma vantagem na liderança, isso enquanto Buemi segurava quem vinha atrás. Ainda assim, os minutos iniciais de corrida eram de relativa calmaria.

O jogo só começou a mudar na volta 6, quando Lynn acionou o modo ataque. Só que não deu muito certo, com o britânico perdendo três posições e caindo para oitavo na missão de acionar potência extra. Günther e Di Grassi, percebendo que o rival da Mahindra tinha perdido tempo demais, acionaram o modo ataque também e nem perderam posição.

Jean-Éric Vergne (Foto: Fórmula E)

Vergne e Buemi acionaram o modo ataque na volta 7, sem perder posições também. O bicampeão era segundo colocado, e em condições de passar Cassidy. Foi por pouco, mas o novato conseguiu segurar a liderança após acionar a potência extra na volta 8.

A primeira rodada de modo ataque se encerrava com o seguinte top-5: Cassidy, Vergne, Buemi, Günther e Di Grassi. A novidade: o bicampeão era capaz de pressionar um pouco mais.

O primeiro grande incidente da corrida veio na volta 11. Wehrlein perdeu o ponto de freada e encheu a traseira de Lynn, que rodou e perdeu posição para Rowland. Só que o ex-F1 foi quem realmente se complicou: o volante ficou torto após o toque e o abandono foi inevitável.

Na volta 12, mudança nas posições de pódio: Günther passou Buemi, que claramente tinha menos ritmo do que os outros. Enquanto isso, Vergne acionava o segundo modo ataque para colocar pressão em Cassidy novamente. Não adiantou: o neozelandês acionou no giro seguinte e seguiu líder.

Lucas Di Grassi foi ao pódio (Foto: Audi)

A corrida se aproximava da metade com uma full course yellow, o safety-car virtual da Fórmula E. O motivo: Evans teve problema mecânico e estacionou em trecho perigoso da pista. Na altura da relargada, o top-10 era o seguinte: Cassidy, Vergne, Günther, Di Grassi, Rowland, Frijns, Buemi, Lynn, Lotterer e Sims.

A corrida se aproximava dos 15 minutos finais ainda cozinhando em banho-maria. Cassidy apesar de liderar, tinha um problema sério: alto consumo de bateria. Eram 2% de energia a menos que Vergne. O novato precisava tirar o pé, segurando todo mundo no pelotão dianteiro.

A corrida chegava nos 10 minutos finais sem mudanças na briga pela vitória. Vergne já tinha até usado o FanBoost, sem sucesso. Mesmo que ainda em primeiro, Cassidy tinha a falta de bateria ainda como um perigo constante.

No fim das contas, o maior problema de Cassidy tinha nome, sobrenome e até nome do meio. Vergne mergulhou para fazer a ultrapassagem, um lance que terminou com os dois se tocando. Melhor para Günther que assumiu a primeira posição e partiu para a vitória.

Fórmula E 2020/21, eP de Nova York, Corrida 1:

1M GÜNTHERBMW 38 voltas 
2J VERGNEDS Techeetah+2.072 
3L DI GRASSIAudi+2.832 
4N CASSIDYVirgin Audi+4.623 
5R FRIJNSVirgin Audi+5.239 
6S BUEMINissan+6.370 
7O ROWLANDNissan+6.581 
8A LOTTEREDPorsche+7.826 
9S BIRDJaguar+8.489 
10R RASTAudi+11.917 
11A LYNNMahindra+14.912 
12A DA COSTADS Techeetah+15.289 
13N DE VRIESMercedes+27.523 
14E MORTARAVenturi Mercedes+27.698 
15N NATOVenturi Mercedes+28.472 
16T BLOMQVISTNIO+28.746 
17J ERIKSSONDragon Penske+41.106 
18S SETTE CÂMARADragon Penske+49.849 
19J DENNISBMW+8 voltasNC
20A SIMSMahingra+9 voltasNC
21S VANDOORNEMercedes+12 voltasNC
22M EVANSJaguar+24 voltasNC
23O TURVEYNIO+27 voltasNC
24P WEHRLEINPorsche+28 voltasNC

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar