Evans minimiza significado de 2º lugar em Mônaco: “Aqui, você precisa ganhar”

Segundo colocado no eP de Mônaco, Mitch Evans minimizou resultado após largar na pole e pediu investigação da Jaguar sobre problema na recuperação de energia

SUSTENTABILIDADE PODE SER MOTIVO DE TRETA ENTRE FÓRMULA 1 E FÓRMULA E NO FUTURO?

Após duas vitórias consecutivas na Fórmula E — o único a conseguir o feito na atual temporada —, Mitch Evans assegurou a pole-position para o eP de Mônaco, no último sábado (30), e tudo indicava que o neozelandês poderia alcançar um feito inédito em sua carreira, com três vitórias consecutivas — algo que apenas os campeões António Félix da Costa e Sébastien Buemi conseguiram na categoria. No entanto, os planos não saíram conforme o esperado.

“Sim, claro, [terminei na] segunda posição, mas ao estar no primeiro lugar, você quer ganhar”, explicou Evans. “Então, termina sendo um pouco agridoce. Mas olhando pelo lado positivo, somamos muitos pontos e conseguimos a pole, algo que não devemos esquecer”, elogiou o piloto da Jaguar.

Evans conseguiu manter a ponta por algum tempo após largar na primeira posição, mas a Jaguar sofreu com um problema na recuperação de energia e o piloto acabou perdendo preciosos segundos — o que lhe custou algumas posições. Mitch ainda conseguiu dar a volta por cima e retomar o segundo lugar, mas pediu atenção da equipe na questão.

▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

O cumprimento entre o vencedor Vandoorne e Evans em Mônaco (Foto: Fórmula E)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

“É sempre difícil alcançar isso na Fórmula E”, prosseguiu. “Eu precisava de uma pole, então foi bom ter conseguido isso. Mas sim, precisamos analisar o que aconteceu hoje. Dei o meu melhor, mas não foi suficiente. A eficiência [no gerenciamento de energia] não foi possível, então temos que analisar e observar isso”, lamentou.

Por fim, Evans demonstrou toda a frustração com o segundo lugar, em um dia que prometia ser dele em Mônaco — principalmente após a dominância mostrada nas ruas de Roma. Apesar de estar visivelmente incomodado, o neozelandês valorizou a pontuação alcançada pela equipe em Monte Carlo.

“Tenho certeza de que a equipe vai estudar isso, fui até onde pudemos chegar hoje”, reconheceu. “Conseguimos 21 pontos hoje, vou ter que me contentar com isso. É um lugar onde tenho me saído muito bem, mas nunca consegui uma vitória, e isso dói. Sinto que ser o segundo aqui não significa muito. Em outras corridas sim, mas em Mônaco, você precisa ganhar. Pensei que hoje seria possível, mas não era para ser”, finalizou.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar