Cassidy aproveita erro de Buemi e anota pole do eP de Nova York 1 da Fórmula E

Era para ser um dia de redenção para Sébastien Buemi, isso até um erro na superpole acabar com tudo. Melhor para Nick Cassidy, pole. Lucas Di Grassi larga em sétimo

Austin Hill escapou da confusão e venceu em Knoxville na quarta prorrogação (Vídeo: Nascar)

O sábado (10) parecia destinado a encerrar a seca de poles de Sébastien Buemi, que já dura dois anos. Afinal, o suíço tinha liderado treino livre e feito o melhor tempo na primeira fase da classificação em Nova York. Só que um erro na superpole pôs tudo a perder: Nick Cassidy fez uma volta próxima da perfeição e assegurou a posição de hora para a primeira corrida do fim de semana.

Jean-Éric Vergne garantiu o segundo melhor tempo, mas 0s161 pior que Cassidy. Alex Lynn e Maximilian Günther formam a segunda fila. Buemi, que fritou os pneus na primeira curva, conseguiu estancar a sangria e salvar o quinto lugar. Pascal Wehrlein ficou na lanterna da superpole e larga em sexto.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Nick Cassidy voltou a anotar a pole-position (Foto: Virgin)

Os brasileiros não foram para a superpole, mas fizeram bons trabalhos. Lucas Di Grassi flertou com a segunda fase da classificação, mas teve de se contentar com o sétimo melhor tempo. Sérgio Sette Câmara foi um pouco mais lento e assegurou o 12° lugar no grid, mantendo a esperança de pontos dentro de algumas horas.

O eP de Nova York 1 acontece ainda neste sábado, com largada às 17h30 (de Brasília). A Fórmula E segue na cidade americana por mais um dia, completando a rodada dupla com um segundo eP.

Saiba como foi o treino classificatório:

Grupo 1: Edoardo Mortara, Robin Frijns, António Félix da Costa, René Rast, Mitch Evans, Nyck de Vries

A classificação começou com estratégias distintas. Cinco dos seis pilotos foram à pista com alguma antecedência, pensando em fazer duas voltas de aquecimento. A exceção era Da Costa, que decidiu por apenas uma.

Só que isso não fez muita diferença: o mais importante ainda era ter a melhor posição na pista. Frijns mandou bem nisso, tanto que virou líder com 1min10s063. Da Costa foi menos de 0s1 mais lento.

Sébastien Buemi errou quando menos podia (Foto: Fórmula E)

Grupo 2: Stoffel Vandoorne, Jake Dennis, Oliver Rowland, Jean-Éric Vergne, Sam Bird, Pascal Wehrlein

A primeira grande notícia do grupo 2 era a presença de todos os seis pilotos. Bird, que bateu forte no TL1, teve o carro consertado em tempo de participar normalmente da classificação.

Só que Bird ainda teria mais problemas. Dessa vez, não por culpa própria: Rowland errou o ponto de freada e acertou a traseira do veterano. Os danos eram pequenos, mas a direção de prova acionou a bandeira vermelha. Todo mundo teria uma nova chance de fazer tempo competitivo.

Nessa nova chance, Vergne brilhou: o francês fez tempo 0s4 melhor que o de Frijns. Wehrlein e Rowland também superaram o holandês, que caiu para quarto. Da Costa seguia na zona de classificação, em quinto, com Dennis em sexto.

Grupo 3: Lucas Di Grassi, Nick Cassidy, Alexander Sims, Alex Lynn, Maximilian Günther, André Lotterer

O terceiro grupo teve bem menos drama. Todo mundo conseguiu distância suficiente para evitar surpresas desagradáveis.

Ainda assim, ninguém conseguiu derrotar Vergne. Cassidy até fez a melhor primeira parcial, mas acabou atrás do bicampeão e de Wehrlein. Günther se consolidou em quarto, com Lynn e Di Grassi em quinto e sexto. O brasileiro até estava na zona de classificação para a superpole, mas em situação delicada.

Jean-Éric Vergne fecha a primeira fila (Foto: Fórmula E)

Grupo 4: Oliver Turvey, Sérgio Sette Câmara, Sébastien Buemi, Norman Nato, Tom Blomqvist, Joel Eriksson

No último grupo, uma surpresa agradável. Sébastien Buemi, que passou o ano inteiro incapaz de fazer boas classificações, encaixou uma volta inesperadamente boa.

O suíço, de olho no top-6, conseguiu nada menos do que a primeira posição. Isso era um problema para Di Grassi, que nem avançou para a superpole. Isso também era verdade para Sérgio Sette Câmara, dono do 12° melhor tempo, uma posição decente para a corrida.

Superpole: Sébastien Buemi, Jean-Éric Vergne, Pascal Wehrlein, Nick Cassidy, Maximilian Günther, Alex Lynn

Sexto na fase de grupos, Lynn foi o primeiro na pista na superpole. O britânico estava longe de ser um favorito, mas fez um bom trabalho ao anotar 1min09s538. Isso ficou claro quando Günther apareceu na pista, sendo 0s076 mais lento.

Só que não era a volta perfeita. Cassidy foi para a pista e fez nada menos do que a melhor volta do dia: 1min09s338. O tempo era melhor até que o de Buemi na fase de grupos e exigiria algo especial dos outros candidatos à pole. Vergne não conseguiu esse algo a mais, assim como Wehrlein.

Buemi carregava a esperança de fazer uma pole pela primeira vez em dois anos. Eis que o suíço fritou os pneus ainda na primeira curva e, num piscar de olhos, viu a posição de honra escapar. Cassidy foi o mais rápido de todos.

Fórmula E 2021, ePrix de Nova York 1, Classificação:

1N CASSIDYVirgin Audi1:09.338 
2J.E. VERGNEDS Techeetah1:09.499+0.161
3A LYNNMahindra1:09.531+0.193
4M GÜNTHERBMW1:09.614+0.276
5S BUEMINissan1:09.713+0.375
6P WEHRLEINPorsche1:09.752+0.414
7L DI GRASSIAudi1:09.759+0.421
8O ROWLANDNissan1:09.891+0.553
9A SIMSMahindra1:09.892+0.554
10A LOTTERERPorsche1:10.028+0.690
11R FRIJNSVirgin Audi1:10.063+0.725
12S. SETTE CÂMARADragon Penske1:10.147+0.809
13A.F. DA COSTADS Techeetah1:10.156+0.818
14O TURVEYNIO1:10.181+0.843
15J DENNISBMW1:10.239+0.901
16M EVANSJaguar1:10.526+1.188
17T BLOMQVISTNIO1:10.530+1.192
18N DE VRIESMercedes1:10.581+1.243
19N NATOVenturi Mercedes1:10.658+1.320
20S BIRDJaguar1:10.934+1.596
21S VANDOORNEMercedes1:10.952+1.614
22J ERIKSSONDragon Penske1:11.036+1.698
23R RASTAudi1:11.271+1.933
24E MORTARAVenturi Mercedes1:11.690+2.352

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar