Retrospectiva 2019: Novo formato traz problemas que Fórmula E sofre para resolver

A temporada 2018/2019 e as agressivas mudanças instituídas pela Fórmula E causaram enorme alteração na forma como as corridas se desenvolvem. E muitos celeumas, que agora a categoria precisa resolver. Além, claro, daqueles velhos hábitos ruins

Há algumas coisas que a Fórmula E precisa mudar o mais rápido possível, e elas foram vistas aos montes em 2019. Coisas antigas e que a esperança de que um dia mude começa a ser cada vez menor, como é o caso das inúmeras punições, mas elementos novos, causados pelas mudanças da assim dita revolução da categoria na quinta temporada de sua história. O GRANDE PRÊMIO faz um apanhado na Retrospectiva 2019.
 
Com relação às punições, é necessário compreender algumas coisas fundamentais. Uma dela é que o formato preferível da Fórmula E, com todas as atividades oficiais realizadas em apenas um dia, torna os sábados intermináveis. Após cerca de 10 horas de atividades de pista entre o começo do TL1 e o fim da corrida, é absolutamente absurdo que as punições sejam divulgadas entre três e quatro horas após a prova. Faça as contas.
 
Além do mais, há o óbvio: punições definidas depois da corrida mudam resultados da corrida e do campeonato, o que já é ruim normalmente, mas numa FE que sabidamente tem interesse em um público que não é bem o do esporte a motor, há muita gente que vai descobrir que o resultado da corrida ou do campeonato mudou apenas quando a próxima etapa vier, meses depois. 
 
Se as questões técnicas são graves, a categoria ainda piorou a situação das demoradas inspeções da FIA com a mudança de seu formato de corrida. Tudo começa na classificação que, apesar de divertida, acaba por empurrar alguns dos melhores competidores para o fim do pelotão. Cria uma natural situação de ultrapassagens, durante a corrida. 
Vergne e Evans (Foto: Reprodução/Twitter)
Com isso dito, os carros da segunda geração são maiores que o modelo anterior enquanto as pistas, que antes já eram estreitas, ficaram ainda menores na comparação. Como ultrapassar? Case a isso a noção implantada, agora que não há mais a obrigatoriedade de pit-stop, da nova maneira de mudar a dinâmica da prova: uma quantidade pré-definida de energia distribuída para todos os pilotos antes da corrida.
 
A falta natural e esperada de espaço fez com que os pilotos usassem os próprios carros – que ganharam uma asa dianteira mais resistente – para forçar pequenas colisões e abrir espaço. O que poderia quebrar um pouco tal vício? A diferença de estratégias entre os pilotos, que teriam de dosar o fato de usar mais ou menos energia em diferentes momentos das provas. 
 
Entretanto, como as batidas causavam minutos de safety-car o FCY, o tempo de corrida diminuía bastante e a energia disponível continuava a mesma.
 
As diferentes dinâmicas da prova, conforme planejado, simplesmente não apareciam. 
eP de Berlim, 10ª etapa da temporada 18/19 (Foto: Michelin)
É excelente que a categoria tenha conseguido estabelecer enorme competitividade e diferentes equipes, a maior parte do grid, conta com condições reais de vencer corridas. Mas as corridas precisam ser um pouco menos artificiais, um pouco menos baseadas na força e um pouco mais técnica. 

Não é necessário se livrar do modo ataque ou da artificialidade divertida dos treinos de classificação. É compreensível que seja parte do que é a Fórmula E, e tudo bem. O que não pode jamais é ser uma arena de carrinho de bate-bate.
 
As mudanças para a temporada que começou em novembro de 2019 e segue em 2020 visam combater o mau hábito: a cada minuto sob FCY ou safety-car, um 1kw é retirado da energia total dos carros. Mas é bastante improvável que o problema seja aplacado num nível satisfatório. É aguardar para ver.
 

Paddockast # 44
RETROSPECTIVA 2019: MUITO QUE BEM, MUITO QUE MAL

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube