Sette Câmara define carro da FE como “diferente de tudo” e destaca progresso

Sérgio Sette Câmara encerrou o primeiro terço da decisão da Fórmula E com um 17° lugar. Parece pouco, mas o brasileiro se vê no caminho certo para evoluir e ajudar a Dragon em Berlim

Sérgio Sette Câmara caiu de paraquedas em uma Fórmula E que não costuma ser muito bondosa com novatos. O brasileiro tenta ajudar a Dragon nas seis corridas finais da Fórmula E em Berlim, mas esbarrando em uma íngreme curva de aprendizado. Terminando as duas primeiras provas com um 17° lugar como melhor resultado, Sérgio sente ao menos que está no caminho certo.

“O carro da FE é completamente diferente de tudo o que eu já tinha pilotado na vida”, disse Sette Câmara. “Durante uma volta, num circuito de rua e com extensão bem mais curta que nos autódromos, o piloto tem de fazer no mínimo umas três vezes mais coisas que na F2. São diferentes ajustes, principalmente no que tange ao consumo de energia do carro. Estudei muito e pratiquei no simulador da equipe, mas, certamente, o que vivenciei nesses dois dias aqui na pista foi muito mais intenso”, comentou.

“Podemos tirar muitas coisas positivas após os dois primeiros dias de corrida aqui em Berlim. Hoje [quinta-feira] demos um grande passo adiante em relação ao que fizemos ontem [quarta-feira]. Consegui fechar o treino em sétimo e, em todas as condições de potência do carro, estive sempre entre os 10 mais rápidos. Na minha volta ideal da classificação, infelizmente, foi muito difícil manter o carro no traçado ideal. Tentei extrair o máximo do carro e, infelizmente, cometi alguns erros”, admitiu.

Sérgio Sette Câmara tenta se adaptar rapidamente à Fórmula E (Foto: Fórmula E)

“Tínhamos ritmo para estar certamente entre 10º e 15º, mas, acabei largando de 20º. Na corrida eu consegui administrar melhor o consumo de energia e ganhei algumas posições. Estou feliz com toda a experiência que eu consegui adquirir e espero possamos seguir evoluindo nas próximas quatro corridas”, destacou.

Sette Câmara terminou atrás do companheiro Nico Müller, 14°, que também sofreu com um carro que aparenta ser o segundo pior da Fórmula E. A Dragon somou apenas 2 pontos até aqui, ambos com o agora demitido Brendon Hartley.

A Fórmula E retoma atividades já no sábado. A categoria segue no Tempelhof, mas agora usando traçado na direção oposta do das duas primeiras corridas. António Félix da Costa lidera o campeonato de braçada, com 68 pontos de vantagem sobre o vice-líder Lucas Di Grassi e tem a faca e o queijo na mão para garantir o título inédito.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube