FE

Sims frustra candidatos ao título e coloca BMW na ponta do TL1 do eP de Nova York

O primeiro treino livre para o eP de Nova York terminou com nenhum dos oito postulantes ao título na liderança: sete deles até passaram por lá, mas Alexander Sims foi quem terminou na frente e começou o dia em vantagem. Lucas Di Grassi foi apenas 12º

Grande Prêmio / PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro
Com uma bonita manhã ensolarada na pista do Brooklyn, a Fórmula E abriu a manhã deste sábado (13) e começou o fim de semana da decisão da temporada 2018/19. O primeiro treino livre transcorreu sem grandes problemas salvo algumas dificuldades de contorno de curvas e um grande tráfego nos minutos finais. No meio disso Alexander Sims colocou a BMW na frente e já com um tempo abaixo daquele esperado para a pole-position. 

Atrás de Sims, cinco postulantes ao título seguidos. Apenas um deles, Sébastien Buemi, entrou também na casa de 1min09s. Importante dizer que a volta esperada para a pole-position estava entre 1min10s e 1min11s pelas expectativas da organização. 
 
Robin Frijns, Jean-Éric Vergne, António Félix da Costa - da BMW como Sims - e Mitch Evans seguiram. Edoardo Mortara ainda se colocou à frente de André Lotterer, único entre os oito candidatos ao título que não passou na dianteira. Oliver Rowland e Stoffel Vandoorne fecharam o top-10. Daniel Abt foi 11º, enquanto Di Grassi foi 12º. Felipe Massa terminou na 19ª colocação.

Veja os horários do fim de semana da Fórmula E no eP de Nova York.
Alexander Sims (Foto: BMW)
Confira como foi o TL1:

Com 8h30 (de Brasília) no relógio, o começo da primeira atividade da decisão da temporada 2018/19 da Fórmula E foi marcado pela ida de Lucas Di Grassi e Daniel Abt, a dupla da Audi, para a pista na frente do resto dos pilotos. 
 
Quem saiu na frente em termos de resultados de voltas rápidas, entretanto, foi a dupla da Nissan. Sébastien Buemi e Oliver Rowland foram os responsáveis pela liderança logo no começo e seguiram, primeiro o suíço e depois o inglês, na ponta pelos dez minutos iniciais.
 
Demorou a acontecer algum problema com os limites da pista: foi logo o líder do campeonato, Jean-Éric Vergne, quem passou direto numa curva após oito minutos e causou a primeira preocupação, embora tenha escapado de colisões. Buemi fez o mesmo na sequência e partiu para os boxes, onde foi mostrado pela transmissão de TV um tanto insatisfeito.
 
Menos de 15 minutos de sessão, mas Rowland começou a avisar a equipe que o desempenho dos pneus estava caindo rapidamente. O que era visível nos minutos iniciais era um número elevado de travadas de pneus - não apenas de Rowland, mas os pilotos de maneira geral - para contornar curvas.
 
O primeiro toque no muro veio pelas mãos de José María López. Mas foi brando, é verdade, embora frontal. Apenas mais uma batida do argentino na temporada. Vergne também beijou o muro levemente um pouco depois, mas com a lateral direita do bólido preto e dourado.
 
Com mais da metade do treino, Mitch Evans enfim sacou a Nissan da dianteira, entrando na casa de 1min11s. A liderança dele durou pouco, porém, porque Stoffel Vandoorne entrou no modo ataque e tomou o posto inapelavelmente: 1min11s458, 0s449 mais rápido que o piloto da Jaguar.

O próximo líder foi Abt, agora com menos de 15min para o final - e logo na sequência travou o carro com força e parou na pista por alguns instantes. António Félix da Costa, um dos que mais travava pneus desde o começo, também passou rapidamente na liderança e jogou a volta mais veloz para a casa da 1min10s. Di Grassi e Rowland ainda conseguiram a ponta com menos de dez minutos para o fim. 
 
Não parecia que ia acabar a mudança louca de posições, entretanto, porque Robin Frijns cravou 1min10s534 pouco depois. E isso porque as voltas de classificação iriam ainda começar na happy hour dos seis últimos minutos. Vergne assumiu a ponta ainda sem toda a potência de classificação, mas errou na curva seis e ficou parado no contorno. Pouco depois de Gary Paffett ficar bem nervoso por ser bloqueado por Felipe Massa, que começava a volta rápida.
 
Alexander Sims pulou para 1min09s9 e assumiu a dianteira mas o tráfego para os momentos derradeiros da sessão era impressionante. O piloto se manteve nessa até o fim e liderou o treino com Buemi, Frijns, Vergne, Da Costa, Evans, Mortara, Lotterer, Rowland e Lotterer no top-10.

FE, ePde Nova York, TL1:

1 A SIMS BMW 1:09.959  
2 S BUEMI Nissan 1:09.977 +0.018
3 R FRIJNS Virgin Audi 1:10.193 +0.234
4 J.E VERGNE DS Techeetah 1:10.226 +0.267
5 A FÉLIX DA COSTA BMW 1:10.286 +0.327
6 M EVANS Jaguar 1:10.338 +0.379
7 E MORTARA Venturi 1:10.346 +0.387
8 A LOTTERER DS Techeetah 1:10.406 +0.447
9 O ROWLAND Nissan 1:10.506 +0.547
10 S VANDOORNE HWA Venturi 1:10.558 +0.599
11 D ABT Audi 1:10.561 +0.602
12 L DI GRASSI Audi 1:10.604 +0.645
13 M GÜNTHER Dragon Penske 1:10.714 +0.755
14 J D'AMBROSIO Mahindra 1:10.752 +0.793
15 J.M LÓPEZ Dragon Penske 1:10.918 +0.959
16 T DILLMANN NIO 1:10.956 +0.997
17 P WEHRLEIN Mahindra 1:10.992 +1.033
18 S BIRD Virgin Audi 1:11.018 +1.059
19 F MASSA Venturi 1:11.264 +1.305
20 O TURVEY NIO 1:11.405 +1.446
21 A LYNN Jaguar 1:11.595 +1.636
22 G PAFFETT HWA Venturi 1:12.241 +2.282


Paddockast #24
A BATALHA: Indy x MotoGP


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.